Cidadeverde.com
Política

Assis Carvalho nega divisão do PT e diz que partido votará unido na Alepi

Imprimir


Foto:Cidadeverde.com

O presidente Estadual do PT, Assis Carvalho  (PT), nega que o partido possa se dividir na eleição da presidência Assembleia Legislativa do Piauí. Segundo Assis, o nome do deputado Hélio Isaias (Progressistas) é visto com bons olhos e terá o apoio petista. Assis afirma que acima de simpatias pessoais existe a orientação partidária. 

"Vemos o nome do Hélio Isaias com muita simpatia. Ele tem essa simpatia com boa parte dos deputados. Vamos chegar a uma decisão quando o senador Ciro Nogueira formalizar o nome de Hélio Isaias. Ele disse que caminha para isso. O PT não pode tomar uma decisão antecipada antes do Progressistas formalizar.  Caminhamos muito bem com forte possibilidade de fechar esse acordo. Pessoalmente vejo com simpatia, mas tenho que tomam uma decisão no fórum partidário", disse.

Assis afirma que após o Progressistas definirem o nome, o PT deve fazer a discussão interna.

"O PT  é um partido disciplinado. Temos uma boa relação com todos. O PT sempre toma uma decisão unida. A história mostra isso. Uma coisa é a simpatia pessoal, outra é a visão partidária.  Essa é uma tranquilidade para a história do partido. Não tem possibilidade do partido votar dividido", defendeu.

O PT deve discutir o assunto com o governador Wellington Dias.

"Quando o Progresistas oficialmente oficiliazar esse nome como sendo do Hélio Isaias vamos conversar com o partido e com o governador. Nosso líder maior", destacou.

De acordo com Assis, o Progressistas  vive uma disputa interna  entre Hélio Isaias e Wilson Brandão. 

"Ainda não tem prazo porque eles ainda estão tentando fechar o diálogo interno entre eles. O Júlio Arcoverde retirou o nome e o Wilson Brandão parece que ainda tenta viabilizar o nome. Estão conversando. Ao PT cabe esperar. Qualquer nome do Progresisstas temos uma boa relação. A decisão é deles, não nossa. Depois que eles resolverem é que vamos nos manifestar", disse.

Para Assis, mesmo que Themistocles não seja o nome do MDB, o acordo entre PT e Progresistas deve ser mantido.

"O MDB é um partido da base e temos uma boa relação. Eles têm o direito de apresentar um nome. Se é o nome A, B ou C não sou eu quem vai manifestar opinião. É um direito tudo que chegar a mesa vamos consultar nosso pares e tomar uma decisão coletiva. O diálogo com Progressistas  e com o PT está bem adiantado. Dificilmente abriremos um diálogo bastante amadurecido. Nao é oposição ao MDB, mas compreensão da necessidade de alternancia", declarou.

 

Lídia Brito
lidiabrito@cidadeverde.com 

Imprimir