Cidadeverde.com
Política

Em encontro do PT, governador diz que luta não é de "José contra Jair"

Imprimir
  • pt12.jpg Catarina Malheiros
  • pt11.jpg Catarina Malheiros
  • pt10.jpg Catarina Malheiros
  • pt9.jpg Catarina Malheiros
  • pt8.jpg Catarina Malheiros
  • pt7.jpg Catarina Malheiros
  • pt6.jpg Catarina Malheiros
  • pt5.jpg Catarina Malheiros
  • pt4.jpg Catarina Malheiros
  • pt3.jpg Catarina Malheiros
  • pt2.jpg Catarina Malheiros
  • pt1.jpg Catarina Malheiros

Ao falar pela primeira vez aos petistas após as eleições, o governador Wellington Dias (PT) afirmou que a luta não deve ser de "José contra Jair" e prevê um ano economicamente difícil. Wellington Dias, no encontro estadual do partido, defendeu políticas sociais e disse que é preciso agir para impedir que diretos sejam retirados. 

"Se de um lado nós fomos o que mais ganhou durante os governos do nosso campo político, tem uma tendência de ser um dos estados que mais perde. Então, o embate na política tem que haver. Não é uma coisa de José  contra o Jair. É o interesse do povo que está em jogo, vamos ter que fazer uma defesa do interesse de nosso povo". 

O governador não citou diretamente o nome do presidente eleito Jair Bolsonaro em seu discurso. Na presença de petistas mais novo aos mais antigos como Antônio José Medeiros, o governador fez uma análise de conjuntura e disse que o Piauí precisa crescer a renda per capita em até R$ 10 bilhões para melhorar no ranking do desenvolvimento humano. 

Ele defendeu as Parcerias Público Privado (PPPs) e disse que o governo busca estratégias para se tornar menos dependente do governo federal. 

“Ainda não temos clareza do que vai acontecer nos próximos anos. Não há sinais de que política possa levar o país ao crescimento e ajudar o Piauí.Teremos de adotar medidas para depender menos do poder central e ter mais autonomia na política de crescimento econômico” afirmou Wellington Dias. 

Segundo ele, o caminho para o ‘alto desenvolvimento’ passa por firmar parcerias e estimular a iniciativa privada. 

Definição de pasta só em 2019

Wellington Dias afirmou também que é legítimo o PT e outros partidos apresentem suas pautas, mas não há nenhuma decisão ainda sobre a composição de pastas do novo governo. 

“É legítimo o partido apresentar a sua pauta assim como os outros, e após concluir o novo organograma, quero enviar para a Assembleia no início de fevereiro. É claro que vou estar considerando o pleito do PT, assim como de outros partidos”. 

Wellington Dias destacou que irá considerar as sugestões dos partidos para concluir o organograma que está sendo criado, sobre a organização do governo para 2019. 

O encontro aconteceu no Real Palace Hotel, Centro de Teresina. O governador falou que, além da preocupação com o seu governo, também há a necessidade de adequação da administração regional ao governo Jair Bolsonaro,  vista por ele com desafiadora. 

“Quando a gente fala em composição do governo, parece um disputa de cargos por cargos, e vamos ter uma responsabilidade de trabalhar os melhores cargos, pessoas para as diferentes áreas para alcançar autodesenvolvimento”, declarou. 

Estiveram presentes na reunião, além de membros do partido, o presidente do PT no Piauí, deputado Assis Carvalho, presidente da APPM, Gil Carlos, a deputada federal Rejane Dias, Antônio José Medeiros, vereador Dudu, dentre outros políticos.

 

Flash Lyza Freitas e Yala Sena
redacao@cidadeverde.com

Imprimir