Cidadeverde.com
Esporte

Sem empréstimo para quitar dívidas, Vasco sofre corte no fornecimento de água

Imprimir

A direção do Vasco admitiu, nesta sexta-feira (4), que está sem fornecimento de água em São Januário há mais de uma semana, devido a uma dívida de cerca de R$ 10 milhões com a Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos).

O corte de água ocorreu em 28 de dezembro, uma sexta-feira, último dia útil de 2018, o que o Vasco classificou como uma atitude intempestiva da companhia. As partes negociam a pendência.

"O Clube manifesta sua estranheza com a adoção de uma medida intempestiva como esta, no último dia útil de mandato da antiga Administração Estadual, no momento em que negocia com a alta direção da Cedae um acordo para a renegociação de antigas dívidas, no valor aproximado de R$ 10 milhões", disse em informe financeiro e administrativo.

No comunicado, o clube ainda revelou não ter obtido parte do empréstimo aprovado pelo Conselho Deliberativo em setembro do ano passado. Restam R$ 18 milhões a serem adquiridos, o que, segundo a diretoria, é fundamental para quitar dívidas e salários atrasados dos funcionários -que chegam a dois meses, além do 13º.

"O atraso se deve a dificuldades para a obtenção das garantias necessárias ao empréstimo, em decorrência de bloqueios judiciais sofridos pelo Clube. Por meio de seu Departamento Jurídico, o Clube já adotou as medidas cabíveis junto aos meios competentes para equacionar o impasse, desbloquear suas contas e, assim, liberar as garantias para o empréstimo. 

Como tem sido amplamente divulgado por esta Diretoria Administrativa, o empréstimo em questão é fundamental para o Clube honrar compromissos financeiros do exercício de 2018", afirmou em nota.

Fonte: Folhapress

Imprimir