Cidadeverde.com
Geral

Piauiense gay é morto por "serial Killer" em São Paulo

Imprimir
A polícia da cidade de Carapicuíba(SP) reabriu esta semana as investigações sobre uma série de assassinatos ocorridos no Parque do Paturis, em que as vítimas seriam todas homossexuais. Desde fevereiro de 2007 os crimes estariam acontecendo no local. Até o momento, o assassino teria feito 13 vítimas. Uma delas seria um piauiense, que ainda não teve o nome revelado.
 

Vítimas foram abordadas e mortas em parque de Carapicuíba

As pessoas mortas no parque foram encontradas de bruços, com as calças na altura dos joelhos e partes íntimas expostas. A polícia não confirmou se as vítimas foram abusadas sexualmente antes do crime. Elas foram assassinadas com disparos na região da nuca, que partiram de um revólver calibre 38. O retrato falado do suspeito já foi feito, mas não foi divulgado para não comprometer as investigações.

De acordo com reportagem do “Estadão”, o delegado Paulo Fortunato, responsável pela reabertura das investigações, afirmou que as vítimas eram de origem humilde e possuiam RG dos Estados da Bahia e do Piauí.

Em entrevista ao Cidadeverde.com, o presidente da Secretaria GLBTT do Partido Democrático Trabalhista(PDT) de Carapicuíba, Rodrigo de Assis Gomes, afirmou que no mês de junho havia solicitado uma apuração mais detalhada sobre o caso. “Nós fizemos a denúncia que mais casos vinham acontecendo e pedimos a retomada das investigações. Em agosto também fizemos a parada gay da cidade com o tema “Homofobia Mata”, como forma de alertar para o problema do preconceito”, disse Rodrigo Gomes.

A reportagem também tentou contato com o delegado Paulo Fortunato, mas ele encontrava-se em evento com o governador de São Paulo, José Serra(PSDB), em Carapicuíba.

 

Záira Amorim
zairamorim@cidadeverde.com

Tags:
Imprimir