Cidadeverde.com
Economia

Novo presidente da AIP garante trabalho pelo fortalecimento da indústria

Imprimir

Foto: Ascom/AIP

A Associação Industrial do Piauí (AIP) realizou na noite desta segunda (13) a solenidade de posse da nova diretoria, eleita em fevereiro para o biênio 2019-2021. Foram empossados o novo presidente, Andrade Júnior, o vice-presidente Gilberto Pedrosa, diretores e conselho fiscal da entidade. O evento foi realizado no espaço Coco Bambu Eventos e estiveram presentes autoridades políticas e empresariais do Estado, entre eles o senador Ciro Nogueira; deputado Júlio Arcoverde; vereador Aluísio Sampaio; secretário de Fazenda, Rafael Fonteles; superintendente do Sebrae, Mário Lacerda; Robério Cantalice, representante da FIEPI; e Sérgio Wilson, assessor jurídico que representou o prefeito Firmino Filho.

Durante o discurso de posse, o presidente da AIP, Andrade Júnior, recordou a história da entidade como uma instituição de grande relevância para o Piauí, que nasceu como Associação Industrial de Teresina, “instrumento de integração entre os industriais e [meio] para levar suas demandas aos diversos entes governamentais” e foi ampliada após expansão da atividade industrial para outros municípios do Piauí, tornando-se a AIP.

Andrade também falou dos compromissos da gestão que ele encabeça nos próximos dois anos e lembrou que a administração pública não sustentará por muito tempo um cenário onde é responsável por 34% da atividade econômica.
 
“A proposta é o fortalecimento da indústria piauiense, enquanto instrumento de desenvolvimento econômico e social, a partir da formação de um ambiente de negócios propício para as atuais empresas que funcionam no Piauí, bem como a criação de novas empresas locais e atração de indústrias de outras localidades para atuar no Estado”, disse o novo presidente da AIP. Para favorecer os debates sobre o segmento empresarial na atualidade, Andrade Júnior também anunciou a realização do Fórum Piauí 2030.

Entre as iniciativas da nova gestão, está a realização do Fórum 2030, para analisar as dificuldades e possibilidades de crescimento do Piauí na contemporaneidade. Uma das linhas de atuação da AIP será a inovação para o aumento da atividade industrial. Para isso, a AIP realizará parcerias com universidades e demais órgãos para implementar ações de pesquisa e desenvolvimento de produtos, juntamente com as empresas associadas à AIP. Por fim, a gestão 2019-2021 priorizará a oferta de serviços às empresas associadas, como assessoria jurídica e de economistas.

“Está nas nossas mãos a oportunidade de avançarmos mais. De 2019 a 2021 essa tarefa é nossa. Decidimos que manteremos, durante todo o mandato, uma discussão de alto nível, suprapartidária, envolvendo toda a indústria, o governo estadual e os governos municipais, que elencaremos como prioritários, e a sociedade, na luta por um setor secundário, mas forte nesse Estado que ainda que tenha tantas limitações, reserva enorme potencial. Esse desafio eu chamo um pacto pela indústria”, pontuou.

Nesse sentido, Gilberto Pedrosa, que assume a vice presidência, lembra que a associação está constantemente acompanhando as iniciativas públicas e leis que afetam diretamente o trabalho dos industriais, lutando por políticas que de fato fortaleçam o trabalho da indústria. “Estamos sempre acompanhando questões que competem ao nosso trabalho e que geram impactam sobre o desenvolvimento da indústria piauiense, como a carga tributária nos serviços da indústria”, pontuou o empresário.

Integração entre Estado e empresariado
O secretário de Fazenda, Rafael Fonteles, representou o governador Wellington Dias na cerimônia e falou do projeto de aumento de impostos no Piauí encaminhado para a Assembleia Legislativa em 2017, que avalia como uma iniciativa ruim para o empresariado. “Pagamos um preço político muito grande, obviamente, mas consideramos que foi necessário. O governador pede que a gente já faça esse compromisso publicamente, que nessa nova gestão não será encaminhado nenhum projeto de lei de aumento de carga tributária nesses próximos quatro anos”, garantiu.

Fonteles defendeu ainda a importância de estreitar as relações entre as iniciativas pública e privada. Ele cita como exemplos as parcerias público-privadas nos setores de saneamento, água e energia, além do trabalho feito na Junta Comercial.

“Quero dizer da importância de fomentarmos essa integração cada vez maior entre o setor público e o setor empresarial. Essa integração não significa nenhum tipo de alinhamento, muito pelo contrário. O setor público, muitas vezes, só funciona com base nas pressões”, destacou.

Da Redação
redacao@cidadeverde.com

Tags: AIPposse
Imprimir