Cidadeverde.com
Esporte

João Pedro volta a brilhar, marca dois e Fluminense bate Cruzeiro

Imprimir
  • flu-cruzeiro-brasileirao-10.jpg FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
  • flu-cruzeiro-brasileirao-9.jpg FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
  • flu-cruzeiro-brasileirao-8.jpg FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
  • flu-cruzeiro-brasileirao-7.jpg FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
  • flu-cruzeiro-brasileirao-6.jpg FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
  • flu-cruzeiro-brasileirao-5.jpg FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
  • flu-cruzeiro-brasileirao-4.jpg FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
  • flu-cruzeiro-brasileirao-3.jpg FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
  • flu-cruzeiro-brasileirao-2.jpg FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
  • flu-cruzeiro-brasileirao-1.jpg FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.

Após o empate por 1 a 1 pela Copa do Brasil, Fluminense e Cruzeiro voltaram a duelar no Maracanã. Dessa vez, neste sábado (18), no entanto, vitória tricolor por 4 a 1, com gols de Nino, Luciano e João Pedro, que fez dois (Robinho fez o dos cruzeirenses). Autor do terceiro e do quarto gol tricolor, João Pedro, de 17 anos, já havia marcado nos acréscimos na última quarta-feira.

O triunfo da equipe de Fernando Diniz fez jus ao que foi a partida, já que os cariocas tiveram a maior parte do duelo sob seu comando. Por vezes muito apático, o Cruzeiro deixou o adversário à vontade.

Na próxima quinta-feira, o Flu recebe a visita do Atlético Nacional, em jogo válido pela Copa Sul-Americana. Já o Cruzeiro só volta a campo no próximo domingo, quando encara a Chapecoense, às 19h, no Mineirão.

Assim como no jogo da última quarta-feira, o Fluminense teve mais a bola, criou mais oportunidades, mas foi mais agressivo no jogo de hoje. O estilo de troca de passes foi mantido à risca, mas os tricolores foram mais incisivos e criaram mais dificuldades para o goleiro Rafael, que teve de trabalhar no Maracanã. A atuação dá força ao estilo implantado por Fernando Diniz, que prega fidelidade ao seu modelo, seja lá qual for o rival do outro lado do campo.

Diferentemente do jogo de quarta, o Cruzeiro agrediu mais. Por outro lado, suas tentativas de contra-atacar seguiram aquém do esperado se analisada a capacidade técnica dos jogadores. A equipe oscilou muito e parecia só jogar na base dos estímulos que vinham através das broncas de Mano Menezes na beira do campo. Disperso em alguns momentos, foi rápido na tentativa de reação com o gol de Robinho, mas mostrou pouca criatividade para buscar o empate com todo o segundo tempo pela frente. Sem inspiração, caiu no jogo burocrático do Flu e ainda levou o terceiro.

Logo no início da partida, Pedro Rocha recebeu uma bola esticada e reclamou de empurrão dentro muito próximo da área. O juiz Flávio Rodrigues de Souza ignorou a possível infração e gerou reclamações dos cruzeirenses, que pediram a intervenção do árbitro de vídeo. Comentarista do "Premiere", o ex-juiz Sandro Meira Ricci viu falta no lance e disse que Gilberto teria de ser expulso.

Na etapa final, o atacante Fred foi derrubado por Agenor dentro da área. Na sobra, Pedro Rocha empurrou para o gol, mas o árbitro já havia marcado o pênalti. A infração, no entanto, foi anulada pelo assistente, para desespero cruzeirense. O assistente apontou corretamente impedimento do camisa 9.

FLUMINENSE
Agenor; Gilberto, Matheus Ferraz, Nino e Caio Henrique; Allan, Daniel (Igor Julião) e Paulo Henrique Ganso; Yony González, Luciano (Marcos Paulo) e Léo Artur (João Pedro).
T.: Fernando Diniz
CRUZEIRO
Rafael, Orejuela (Marquinhos Gabriel), Léo, Dedé e Egídio; Henrique, Lucas Romero e Robinho; Rodriguinho (David), Pedro Rocha e Fred (Sassá).
T.: Mano Menezes
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Alex Ang Ribeiro (SP)
Cartões amarelos: Rodriguinho, Pedro Rocha (CRU); Allan, Luciano (FLU)
Gols: Nino (ATL), aos 43 minutos do primeiro tempo; Luciano (FLA), a 1 minuto do segundo tempo; Robinho (CRU), aos 3 minutos do segundo tempo; João Pedro (ALT), aos 35 minutos do segundo tempo; João Pedro (ATL), aos 49 minutos do segundo tempo.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir