Cidadeverde.com
Cidades

Criança de dois anos é atropelada por ônibus e sobrevive no Piauí

Imprimir

Foto: Polícia Civil

Uma criança de dois anos foi atropelada por um ônibus escolar na localidade Pilão da Pedra, zona rural de Porto, no interior do Piauí.  A criança sofreu uma pancada na cabeça devido a queda e já está em casa aos cuidados dos familiares. A mãe da criança e o motorista do veículo poderão ser indiciados pelo acidente. 

O caso ocorreu no dia 15 de maio deste ano. O delegado Renato Pinheiro, titular da Delegacia de Porto, disse ao Cidadeverde.com que o acidente ocorreu por volta do meio-dia quando o ônibus passava por uma rua da localidade para pegar os estudantes. 

Sobre a colisão, o delegado explicou que a criança foi atingida no meio do ônibus e, "por milagre", os pneus não passaram por cima dela. 

"A criança atravessou na frente do ônibus. O parachoque do ônibus bateu nela. Ela caiu e bateu com a cabeça no chão. O ônibus passou por cima dela sem as rodas. A criança só teve ferimentos leves e já está em casa medicada. A cabeça está um pouco inchada devido a pancada. Ela também fez exames de corpo de delito. Foi um milagre". 

Investigação

Renato Pinheiro ressaltou que está concluindo a investigação sobre o caso e não descarta a possibilidade de indiciar o motorista por lesão corporal no trânsito (artigo 303 do Código de Trânsito Brasileiro).

Segundo o delegado, a mãe da criança também poderá "responder criminalmente na modalidade comissiva por omissão, por ostentar a posição de garante e não ter observado o dever objetivo de cuidado a uma criança de 2 (dois) anos, porque ela atravessou a rua sozinha”.

Pinheiro destacou que o veículo estava a 10 km/h. "A criança veio se deslocando da esquerda para a direita. A 45 graus dele (motorista). Foi o ônibus se deslocando, e a criança se deslocando também. A colisão foi bem no meio do ônibus, significa que no raio de visão a criança apareceu, e o motorista não prestou atenção ao movimento periférico", explicou o delegado. 

O delegado disse ainda que o motorista foi alertado segundos depois do ocorrido, mas seguiu viagem e não prestou socorro à vítima. No retorno da viagem, ao passar novamente pelo local, a mãe da criança o parou e ocorreu uma discussão entre os dois. Após isso, o motorista se deslocou até a delegacia para contar ao delgado a sua versão do acidente. 
 

Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com

Imprimir