Cidadeverde.com
Viver Bem

Crononutrição: entenda como o relógio biológico ajuda na dieta

Imprimir

Já imaginou unir a nutrição com a cronobiologia, que é a ciência que avalia os fenômenos biológicos que ocorrem com certa frequência? A crononutrição é a área responsável por estudar como o relógio biológico de cada indivíduo influencia a alimentação.

Nela, a ideia principal é que o organismo tem um relógio e um funcionamento específico - que se reflete, diretamente, no metabolismo e ainda dita o melhor horário para cada refeição.

Relógio biológico

Não é por acaso que uma pessoa não pode simplesmente aproveitar a dieta de outra. Cada um tem suas próprias particularidades e cada metabolismo funciona de um jeito - o que torna necessária uma dieta personalizada para que os resultados realmente apareçam.

Basicamente, esta é a ideia central da crononutrição. No entanto, seus estudos focam na maneira como o relógio biológico de cada um pode influenciar na alimentação e, ainda, em qual seria o alimento ideal para cada hora do dia.

Para entender melhor: você certamente já se perguntou se existe um horário certo para tomar café da manhã, almoçar e jantar, por exemplo. No entanto, segundo essa linha de estudos, a melhor hora só pode ser definida de acordo com o ritmo biológico de cada um.

Combate à obesidade

Como o corpo funciona diferente em cada hora do dia, a crononutrição também pode aproveitar essa propriedade para solucionar alguns problemas - como a obesidade, por exemplo. Isso ocorre pelo seguinte motivo: os estudos na área são capazes de mostrar, por exemplo, a que sabor somos mais sensíveis na parte da manhã, da tarde e da noite.

Assim, com o metabolismo passível de ser manipulado, é possível que um nutricionista use o relógio biológico como aliado para montar uma dieta toda focada nesses conhecimentos e nas particularidades de cada paciente.

Exames

Para ter um resultado mais preciso são feitos alguns exames - como o perfil nutrigenético e o painel metabólico. No primeiro, é analisado, principalmente, a predisposição à obesidade através dos genes, enquanto o segundo mostra como a genética pode influenciar até mesmo no modo como o corpo reage e se comporta com atividades físicas que visam a perda de peso.

E o mesmo vale para problemas como insônia: para que o corpo consiga relaxar na hora certa, a crononutrição pode ajudar a determinar o que comer e em que momento para que o sono apareça quando necessário.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir