Cidadeverde.com
Política

Assembleia faz audiência para discutir violência nas agências bancárias

Imprimir

Foto:RobertaAline/CidadeVerde.com

A Assembleia Legislativa do Estado realizou audiência pública para discutir a segurança nos bancos do Estado. O secretário de Segurança Pública, Fábio Abreu (PR), participou do encontro. 

Segundo ele, os primeiros meses de 2019 registraram apenas dois assaltos a banco no Piauí. No ano passado, o número chegou a 15 assaltos. 
“O Piauí é um dos Estados com maior controle no comando a roubo de bancos. Seja na parte preventiva, com várias ações que evitam essas ações de quadrilhas, ou nas prisões dessas quadrilhas que atuam no Estado. Em 2019 só tivemos duas ocorrências deste tipo de crime e elas foram elucidadas 100%. Uma foi à ocorrência de Castelo do Piauí e a outra em Campo Maior”, afirmou.

Fábio Abreu defende uma resposta dura das forças de violência contra as quadrilhas. Na busca pela quadrilha que assaltou o banco de Campo Maior, nove assaltantes foram mortos. 

“A resposta dada a essas ocorrências é um intimidador às quadrilhas que pensam em fazer assaltos. É preciso também que essas ações ocorram em parceria com os Estados vizinhos. O Maranhão é atacado e buscamos a integração das ações de inteligência e vamos colaborar com os estados, principalmente, quem faz divisa com o Piauí, para termos a troca de informações e manter o controle”, disse.

O gerente regional da Caixa Econômica, Raimundo Andrade , afirma que os bancos trabalham para aumentar a segurança. No caso da Caixa, o banco tem um sistema próprio de investimento em segurança. 

“Essa audiência é salutar para discutir a qualidade do atendimento. O debate é importante. O banco precisa reforçar essa segurança. Temos uma rede de agências e lotéricas que atendem o estado todo. Campo Maior passará por reforma e será entregue dia 10 e a agência nova que em 120 dias deverá funcionar. Essa questão de segurança é feita pelo Banco Central. A Caixa tem um plano de segurança federal. Mas não impede que possamos buscar outras medidas”,defendeu. 

Lídia Brito
lidiabrito@cidadeverde.com 

Imprimir