Cidadeverde.com
Viver Bem

Aspargo contribui para o bom funcionamento do organismo

Imprimir

Foto: Pixabay/ fotos gratis

Nem todo mundo tem o hábito de usar o aspargo durante o preparo das refeições, o que é uma pena, já que esse alimento é rico em nutrientes essenciais para o bom funcionamento do nosso organismo. Quer conhecer melhor os seus benefícios? 

Riqueza em ácido fólico

A primeira vantagem do aspargo é a forte presença de vitamina B9, também conhecida como ácido fólico. Além de fortalecer o sistema imunológico, é indicado para quem tem problemas no intestino, já que ajuda o sistema digestivo a funcionar melhor. No caso de gestantes há ainda uma vantagem a mais: o nutriente previne uma má formação no tubo neural do bebê. 

Fonte de cálcio e ferro

Por ser rico em cálcio, o aspargo fortalece ossos e dentes, evitando problemas relacionados ao enfraquecimento dessas partes do corpo, como é o caso da osteoporose. Além disso, o vegetal também é fonte de ferro, responsável pelo transporte de oxigênio às hemácias e células musculares. Com isso, evita o surgimento da anemia.

Possui ação diurética

O aspargo também ajuda a evitar a retenção de líquidos. Outra vantagem dessa característica é o combate a problemas relacionados aos rins. Por fim, evita a sensação de inchaço.

Ação antioxidante

Rico em vitamina E, o aspargo possui ação antioxidante. Isso significa que combate o excesso de radicais livres no corpo, evitando a oxidação celular e consequentemente o envelhecimento precoce e até diferentes tipos de câncer. Também fortalece o sistema imunológico.

Atua na contração muscular

O aspargo também possui boas quantidades de potássio, o que ajuda a regular os níveis de água no corpo. Além disso, atua na contração muscular, evitando o surgimento de cãibras.

Abundância em fibras

As vantagens das fibras são muitas. Em primeiro lugar, evita problemas relacionados ao sistema digestivo, o que inclui tanto o intestino preso quanto o solto. Elas também evitam a sensação de inchaço e ainda ajudam a dar mais saciedade ao organismo. Com isso, impedem a compulsão alimentar, fazendo com que o corpo consuma apenas o necessário.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir