Cidadeverde.com
Esporte

Palmeiras e Flamengo aumentam "abismo" financeiro sobre rivais, diz estudo

Imprimir

A rivalidade entre Flamengo e Palmeiras segue intensa também fora das quatro linhas. Segundo um estudo financeiro divulgado nesta terça-feira (16) pelo Itaú BBA, os dois clubes tiveram novamente os melhores resultados econômicos - os números mostram uma tendência de ambos se "descolarem" dos demais times brasileiros.

O trabalho mostrou mais uma vez a superioridade financeira de Flamengo e Palmeiras em relação aos outros clubes. A concentração de receitas recorrentes de ambos chegou a 23% do total dos clubes analisados. Esse número era de 21% em 2016, segundo o estudo. Por isso, existe a tendência de o "abismo" aumentar.

"Distância de Palmeiras e Flamengo em relação aos outros tende a aumentar, porque com maior geração de caixa eles tendem a se destacar, ficar mais acima da tabela, com mais jogos transmitidos", disse César Grafietti, consultor do Itaú BBA, responsável pelo estudo divulgado pelo 10º ano consecutivo e que analisou 27 clubes brasileiros.

O clube paulista apresentou os melhores resultados nas receitas totais obtidas em 2018: R$ 654 milhões. Os rubro-negros atingiram a marca de R$ 536 milhões. No ano anterior, o Flamengo estava à frente, com R$ 643 milhões, contra R$ 515 milhões do Palmeiras.

São Paulo, com R$ 399 milhões, Corinthians, com R$ 389 milhões, Grêmio, R$ 381 milhões, e Cruzeiro, R$ 322 milhões, vêm na sequência, de acordo com os dados de 2018 apresentados pelo estudo.

O Palmeiras, porém, gastou mais que o Flamengo no ano passado. Mas nem isso afetou a geração de caixa do clube alviverde, de R$ 212 milhões. "Vemos o Palmeiras em manutenção, mesmo com o aumento expressivo de custos e despesas", diz o estudo.

O trabalho, que aponta o Palmeiras como o "dono da bola", ainda frisa que o clube paulista "atingiu um patamar econômico-financeiro muito acima dos demais clubes. "O nível de receitas é equilibrado, e nenhuma concentração relevante. Consegue obter um enorme retorno dos seus torcedores, com receitas de bilheteria e sócio-torcedor expressivas", diz.

A segunda maior receita do Palmeiras em 2018 foi justamente com as bilheterias dos jogos e o programa de sócio-torcedor: R$ 160 milhões, atrás somente de "transações de atletas", com R$ 170 milhões. Direito de TV marcou R$ 137 milhões, e patrocínio e publicidade renderam R$ 100 milhões.

Os direitos de TV representam a maior parte das receitas do Flamengo: R$ 222 milhões. Patrocínio e publicidade chegaram à marca de R$ 90 milhões. Bilheteria e programa de sócio-torcedor, a R$ 93 milhões. Vendas e jogadores, por sua vez, a R$ 57 milhões.

Compare os dados de Flamengo e Palmeiras em 2018:

FLAMENGO
Receitas: R$ 536 milhões
eração de caixa: R$ 154 milhões
Dívida total: R$ 418 milhões

PALMEIRAS
Receitas: R$ 654 milhões
Geração de caixa: R$ 212 milhões
Dívida total: R$ 420 milhões

DIEGO SALGADO E GABRIEL CARNEIRO
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) 

Imprimir