Cidadeverde.com
Entretenimento

'Tentando entrar nos eixos', diz irmã de Rafael Miguel sobre morte do irmão e dos pais

Imprimir

Foto: Reprodução Instagram 

Camilla Miguel, irmã do ator Rafael Miguel, assassinado em junho, publicou alguns vídeos no Instagram para agradecer o apoio que recebeu pela internet e, também, desabafar sobre as fases de luto que está passando. 
Ela também perdeu seus pais, João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, 50. Os três foram mortos a tiros quando visitavam a casa da namorada de Miguel, Isabela Tibcherani. 

"Fico muito feliz de ter ajudado as pessoas que se sentiram inspiradas de alguma forma. Isso de ajudar as pessoas veio dos meus pais. Tanto que meu irmão era uma pessoa que queria ajudar todo o mundo".

Camilla diz que não há formas de superar o que aconteceu, mas que tenta encontrar uma forma de recomeçar. "Tenho tentado trazer uma normalidade aos poucos. A gente vai voltando a viver, a trazer um novo sentido para a vida. Uma normalidade para a nossa nova realidade que, obviamente mudou totalmente, virou de cabeça para baixo. A gente vai tentando entrar nos eixos", afirmou em vídeo.

O crime

Paulo Cupertino Matias é suspeito de matar a tiros o ator de "Chiquititas" Rafael Henrique Miguel, 22, e os pais do jovem, Miriam Selma Miguel, 50, e João Alcisio Miguel, 52. Ele está foragido desde os assassinatos, no dia 9. 

Cupertino já havia sido indiciado por furtos, roubos, associação criminosa e até um assalto a banco na década de 1990. De acordo com a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária), gestão João Doria (PSDB), ele cumpriu pena por assalto a um carro forte na Penitenciária de São Vicente (a 93 km de SP) entre setembro de 1993 e dezembro de 1994.

O comerciante é acusado de matar o ator com sete tiros de pistola, o pai do jovem com quatro tiros e a mãe, com dois.

A motivação do crime é investigada pela polícia, mas a principal hipótese é a de que Cupertino não aceitava o namoro de Rafael Miguel com sua filha, Isabela Tibcherani. Eles foram mortos no bairro de Pedreira, na zona sul da capital, em frente à casa do comerciante.

Após balear as três vítimas, o acusado teria fugido em um Volkswagen Up! vermelho, que foi encontrado dois dias depois na rua Batista Maciel (zona sul da capital paulista), a cerca de 21 quilômetros de distância do local onde ocorreu o triplo assassinato. Segundo a polícia, o veículo foi clonado.

Fonte: Folhapress

Imprimir