Cidadeverde.com
Esporte

Corinthians fica no zero com o Flu em ida da Sul-Americana

Imprimir

O Corinthians fracassou na tentativa de abrir vantagem sobre o Fluminense nas quartas de final da Copa Sul-Americana. Jogando no estádio de Itaquera na noite desta quinta-feira (22), a equipe não conseguiu nada além de um empate por 0 a 0.

Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Não estava do outro lado o ofensivo time de Fernando Diniz, demitido do clube tricolor na última segunda (19). O comandante interino Marcão armou os visitantes de forma a fechar os espaços e foi premiado com o que buscava na zona leste de São Paulo.

A vaga nas semifinais será decidida na próxima quinta-feira (29), no Maracanã, no Rio. Quem vencer enfrentará o equatoriano Independiente del Valle para avançar à decisão. Novo 0 a 0 levará a disputa aos pênaltis. Empate com gols favorecerá o Corinthians.

Sem Diniz no banco de reservas, o Fluminense não repetiu a habitual estratégia de marcar a saída de bola do adversário. Preferiu se fechar com jogadores de força física, deixando Paulo Henrique Ganso e Nenê livres para organizar os lances de ataque e as oportunidades de contragolpe.

O resultado foi um primeiro tampo truncado, sem chances mais claras de gol. O Corinthians tinha dificuldade para invadir a área tricolor, apesar da participação razoável de Mateus Vital, e oferecia algum espaço aos visitantes, que chegaram a assustar em chute de longe de Nenê.

Os donos da casa só conseguiram levar vantagem sobre a marcação nos minutos que antecederam o intervalo, encaixando algumas boas jogadas tramadas por Vital, Pedrinho e Fagner. Não foi o suficiente para tirar o zero do marcador.

O cenário se manteve na volta para a etapa final, com o Corinthians mais agressivo em busca do gol. Como ele não veio nos primeiros 20 minutos, o treinador alvinegro, Fábio Carille, acionou Jadson e Boselli. O Fluminense se armou para o contra-ataque com Wellington Nem.

Quando Pedrinho se machucou, a opção de Carille foi por mais um homem de área, Gustavo. Quase deu certo. Nos acréscimos, ele conseguiu cabeceio preciso, mas Muriel espalmou a bola e ainda contou com o travessão para segurar o placar zerado até o apito final.

Fonte: Folhapress

Imprimir