Cidadeverde.com
Geral

Julgamento de acusado na morte de policial do Bope é marcado pela 4ª vez

Imprimir

Fotos: RobertaAline/Cidadeverde.com


O julgamento de Igor Andrade Sousa, acusado de participar do assassinato do policial do Bope Claudemir de Paula, foi adiado pela terceira vez. Uma quarta data foi marcada pelo juiz de Direito da 1ª Vara do Tribunal Popular do Júri, Antônio Reis de Jesus Nollêto. O júri que iria  ocorrer na segunda (23) foi adiado para o dia 27 de novembro deste ano, a partir das 8 horas. 

No despacho, o juiz destacou que o pedido de adiamento da sessão foi feito pela defesa do acusado, que alegou, em síntese, que Igor "se encontra impossibilitado de comparecer porque submeteu-se a uma cirurgia e irá submeteu-se a intervenção cirúrgica, conforme laudos, relatórios e atestados médicos acostados aos autos".

O Cidadeverde.com apurou que o acusado teve alta do Hospital de Urgência de Teresina no dia 12 de setembro, após levar um tiro na zona Sul de Teresina. 

1º adiamento

O primeiro julgamento do Igor estava marcado para o dia 17 de junho, mas, nesta data, o advogado da época, identificado como Arnaldo Ferreira Silva Júnior, apresentou um atestado médico alegando que não poderia comparecer ao júri por motivo de doença. O juiz remarcou a sessão para o dia 28 de junho de 2019.

2º adiamento

No dia 28 de junho, o novo advogado de Igor, Júlio César Magalhães Silva, se apresentou na sessão, mas pediu adiamento da data porque precisava de mais tempo para ter acesso aos autos e formular as teses defensivas do cliente. 




Novos advogados

A petição de adiamento do julgamento pela 3ª vez é assinada por um novo escritório de advocacia especializada, com assinatura dos advogados Leonardo Carvalho Queiroz e Jairo Braz da Silva. O pedido aconteceu no dia 19 de setembro deste ano, quatro dias antes da realização do júri. 

Aflição

A família de Claudemir de Paula recebeu o novo adiamento com aflição. "Quando a gente recebe a esperança do julgamento acontecer ele é adiado", diz a irmã da vítima. "Sem falar que nós só sabemos desse julgamento porque os outros envolvidos na morte do meu irmão ainda estão com recurso, sem previsão dos júris um dia acontecer".

Além de Igor, outras sete pessoas foram indiciados pela morte do cabo do BOPE. Dentre os indiciados está a namorada da vítima, na época do crime, Maria Ocionira Barbosa, que também se envolvia com outro acusado de participar do homicídio, o Leonardo Ferreira. 

Crime

O policial Claudemir de Paula Sousa foi morto a tiros no momento em que saia de uma academia no bairro Saci, zona Sul de Teresina. O caso ocorreu no dia 06 de dezembro de 2016. 
 

Valmir Macêdo
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir