Cidadeverde.com
Esporte

Ceará e Cruzeiro fazem bom jogo, mas empate é ruim para os dois lados

Imprimir

Foto: Stephan Eilert / cearasc.com 

 

Ceará e Cruzeiro abriram a 21ª rodada do Brasileirão, nesta quarta-feira (25), e fizeram uma partida muito movimentada no Castelão. Mas o placar não saiu do 0 a 0, resultado que não agrada a nenhuma das equipes. Os mineiros fizeram um primeiro tempo melhor, mas o Ceará acelerou na etapa final, cresceu no jogo e criou boas chances nos minutos finais. Em comum, ambos chamaram atenção por ansiedade e nervosismo na hora de finalizar para o gol.

Com o resultado, o Ceará vai aos 23 pontos e segue acompanhado de perto pelos últimos colocados. Mas a má fase persiste. Já são sete jogos sem vitória, com quatro derrotas e três empates. Nesse período, a equipe marcou apenas dois gols, ambos no empate com o Corinthians.

Já o Cruzeiro vai aos 19 pontos e dorme fora da zona do rebaixamento, mas poderá voltar para o Z-4 na quinta-feira (26), dependendo dos resultados de CSA, Fluminense e Avaí. O time mineiro completa quatro jogos sem vitória, mas pelo menos interrompeu a sequência de três derrotas.

O Ceará começou a partida bem, tentando pressionar o Cruzeiro, mas perdeu campo com o passar do tempo e foi vítima da baixa produção técnica. A superioridade numérica na faixa central permitiu que os mineiros chegassem com mais homens para gerar em descidas perigosas. O Vovô só voltou a ameaçar a meta de Fábio no final do primeiro tempo, reanimando seu torcedor, até então impaciente.

O Cruzeiro não se acanhou e começou o jogo melhor, com boas movimentações e troca de passes. Mas, apesar da personalidade, faltou mais tranquilidade na hora da conclusão. Pedro Rocha dividiu uma jogada dentro da pequena área, mas cabeceou mal. Na segunda boa chance da partida, o atacante recebeu de frente para o gol e chutou por cima. Quando colocou marcou, Pedro foi pego em impedimento e teve seu gol corretamente anulado. Após o lance, queixou-se de dores e deixou o campo.

A importância da vitória fez com que o jogo recomeçasse elétrico no segundo tempo, com as duas equipes buscando o ataque sem parar. O problema foi a repetição de velhos erros, muitos por causa do nervosismo. Egídio fez um corte providencial na zaga e impediu que o contra-ataque do Ceará terminasse cara a cara com Fábio. Mais tarde, Bergson recebeu em boas condições, mas se atrapalhou no domínio. Depois, deixou o campo vaiado. No Cruzeiro, Orejuela encontrou David livre dentro da área, mas o atacante pegou mal na bola e isolou.

A entrada de Matheus Gonçalves incendiou o jogo - a favor do Ceará. Em descida rápida, ele entortou Dedé e parou no goleiro Fábio. Felippe Cardoso pegou a sobra, mas teve o chute bloqueado pelo camisa 1 celeste. A bola ainda ficou viva dentro da área, quando Galhardo finalizou na junção da trave. Minutos mais tarde, o Cruzeiro errou na saída de bola, e Matheus recebeu livre dentro da área, mas tirou demais de Fábio e desperdiçou uma chance incrível de frente para o gol.

Após as ótimas chances criadas, o Ceará foi todo para o ataque em busca do gol da vitória. Mas a postura abriu espaço para o Cruzeiro se reanimar na partida. Os dez minutos finais foram lá e cá e contaram com muita emoção em campo, mas nenhum dos lados conseguiu sair de campo com o tão procurado gol.

CEARÁ
Diogo Silva; Samuel Xavier, Tiago Alves, Valdo, Carleto; Fabinho, Ricardinho, Thiago Galhardo, Felipe Silva (Matheus Gonçalves); Leandro Carvalho (Wescley), Bergson (Felippe Cardoso). T.: Enderson Moreira
CRUZEIRO
Fábio; Orejuela, Dedé, Fabrício Bruno, Egídio; Henrique, Éderson; Marquinhos Gabriel, Robinho (Ezequiel), David (Mauricio); Pedro Rocha (Pedro Rocha). T.: Rogério Ceni
Estádio: Castelão, em Fortaleza (CE)
Juiz: Braulio da Silva Machado (SC)
Cartões amarelos: Leandro Carvalho, Samuel Xavier (Ceará); Fabrício Bruno, Fábio, Fred (Cruzeiro)

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir