Cidadeverde.com
Viver Bem

Dicas para crianças exercitarem a mente brincando de diversas formas

Imprimir

Foto: Pixabay/ fotos gratis

É comprovado cientificamente que crianças que se exercitam, brincam e correm têm sua capacidade cognitiva melhorada, como se o “pensar” fosse mais desenvolvido. Entre os 8 e 9 anos é que essa característica fica mais em evidência. Ou seja: é quando mais eles precisam exercitar o cérebro. Aliás, a prática ajuda também a conquistar amigos, criando mais laços comportamentais e evitando isolamento.

Palavras cruzadas

Não é só os mais velhos que precisam fazer as tradicionais palavras cruzadas. Ainda vendidas em revistas, hoje também estão disponíveis na internet. Estimule os pequenos a cruzar as informações e brincar nesse passatempo, que tem versões exclusivas para crianças. Com um pouco de tempo, também dá para criar o próprio jogo, estimulando assuntos recorrentes da criança.

Caminhos diferentes

Estimule e use caminhos variados na hora de ir aos lugares (sempre com segurança, é claro). Isso faz com que o cérebro exercite mais a memória, melhorando a capacidade cognitiva dos pequenos.

Contas no papel

Sim, faça os cálculos à moda antiga Não deixe que a tecnologia tome conta dessa prática com seus filhos. Assim, estimule-os a também realizar as contas usando o jeito original, com papel e caneta.

Jogue stop

Nome, carro, cidade... Brinque de stop com seu filho. Além do jogo tradicional, você pode adaptar e usar as coisas que estão mais no mundo dele, como desenhos ou personagens infantis.

Xadrez

Já pensou em ensinar seu filho a jogar xadrez? Você não sabe? Então, tá na hora de aprender. E passar pra ele!

Brinquedos

De vez em quando, mude os brinquedos de lugar. Não os deixe sempre nas mesmas caixas ou espaços. Isso faz com que a criança faça o exercício de buscar alternativas para encontrar os objetos desejados, estimulando assim o cérebro.

Aplicativos

Existe uma lista interminável na internet de aplicativos que ajudam a exercitar o cérebro dos pequenos Basta pesquisar e encontrar as opções mais apropriadas para a idade.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir