Cidadeverde.com
Geral

Pais denunciam falta de organização na aplicação do Enem em Teresina

Imprimir

Fotos: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Atualizada às 15h57.

Pais de alunos denunciam a falta de organização da aplicação da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na Universidade Estadual do Piauí (Uespi), na zona norte de Teresina. Os pais conversaram com o Cidadeverde.com e relataram que os nomes dos filhos não constavam nas listas das salas de prova.

Para ter acesso a sala de aplicação, o aluno deveria constar na lista de alunos. Muitos pais e responsáveis saíram do campus Torquato Neto por volta das 13h20 - minutos antes da entrega das provas - denunciando falta de organização. 

A mãe da candidata Mara Vieira, a dona de casa Francisca Vieira, confirmou que quase 100 candidatos estão estavam na mesma situação da filha. "Eles estão tentando resolver isso. O nome da minha filha não estava na lista. Depois tiraram uma nova lista com o nome dela e colocaram em uma sala. Espero que essa falta de organização não abale o emocional dela, que já está com dor de cabeça".

O consultor de vendas, Sérgio Guedes, veio deixar a filha que ficou nervosa ao não encontrar seu nome na lista das salas. Ele alega ter tido dificuldades em resolver o problema.

“O Enem foi um descaso, a desorganização que houve. Tem mais de 100 alunos que não têm sala para fazer. Não tem a relação dos alunos”, reclamou. 

“Rodamos a universidade todinha para resolver essa situação. Agora que a coordenação foi na computação e imprimiu uma nova relação e estão redimensionando para outras salas. Mas isso perde o psico (psicológico) da pessoa e até agora eles não começaram a prova”, reclamou o pai.



Alunos relataram falha
 

A estudante Vitoria Alves, de 19 anos, ficou sem fazer a prova do Enem, neste domingo, após a confusão com o seu local de prova e cartão de confirmação. Antes da estudante falar com o Cidadeverde.com, os pais de alguns alunos já haviam denunciado o caso à imprensa. Os casos ocorreram no campus Torquato Neto da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), na zona Norte de Teresina.

Vitoria disse que teve problemas em acessar ao seu cartão de informação por meio do e-mail cadastrado. Para resolver, ligou para o  Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e anotou o seu local de prova, que, segundo ela, seria na Uespi.

"Você passa esse tempo todinho estudando para chegar o dia da prova e passar por isso. Passei o ano indo para revisão, pré-Enem, e chegou aqui e não consigo fazer a prova. Eu implorei para fazerem uma exceção, para fazer a prova aqui, mas não me permitiram, disseram que o meu local era uma uma escola em frente a uma praça no bairro Poty Velho. Tenho tanto medo da minha mãe ficar tão triste, ela já sofre de depressão, eu já tenho depressão. Não sei como vai ser".

Vitória saiu da universidade aos prantos por volta das 15 horas. Antes de fechar os portões, a estudante Clara Bethânia decidiu sair do local após buscar pelo nome e não achar nas listas. 
 
"Eu só sabia que era na Uespi. Olhei todas as salas, mas não tinha o meu nome. Meu cartão dizia que a prova era na Uespi, dizia a sala e o setor. Agora eu vou para casa porque não tem mais nada para fazer aqui. Só próximo ano", diz a estudante Clara, que tem planos de cursar fisioterapia.  Apesar de inicialmente falar sobre a desistência, a estudante ao conversar com outras pessoas decidiu retornar e tentar achar uma solução para fazer a prova.  

O Inep informou que a coordenação do Enem na Uespi - Torquato Neto identificou o problema e o solucionou. Os candidatos que não estavam com os nomes na lista foram confirmados como inscritos a fazer a prova no local e encaminhados para a sala de aula. Sobre o caso da Vitoria, o Inep confirmou que foi um erro da participante. Ela deveria fazer a prova na Unidade Escolar Petrônio Portela. 
 

Flash Carliene Carpaso
[email protected]

Imprimir