Cidadeverde.com
Esporte

Picos não tem diretoria e é dúvida para o Campeonato Piauiense 2020

Imprimir

A Sociedade Esportiva de Picos realizou uma boa campanha na Segunda Divisão e ficou com o título. A torcida ficou animada e os dirigentes prometeram trabalho para a conquista do título estadual de 2020, na linha de frente do nosso futebol. 

A Federação de Futebol realizou a reunião do Conselho Arbitral para aprovação do regulamento e da tabela de jogos. Tudo pronto e a abertura anunciada para o Estádio Helvídio Nunes, na cidade de Picos, com o jogo Picos x River.

Nesta quarta-feira(27), porém, o presidente picoense Rodrigo Santos Lima divulgou uma carta de renúncia, alegando dificuldades financeiras com dívidas vencidas e certamente sem perspectivas de uma arrecadação capaz de garantir a manutenção da equipe para a temporada de 2020. E ainda justificou com o seguinte:

"E por fim meu repúdio aos que de forma infantil agiram e tentaram difamar a imagem da diretoria como um todo, criando grupos de watsapp e espalhando terrorismo virtual acerca de um problema interno que sempre aconteceu nos clubes brasileiros, mas que com persistência foram solucionados."

E completou o presidente Rodrigo Santos Lima, afirmando:

"Ao tempo informo que assim como eu, toda a diretoria renuncia em conjunto, abrindo espaço para que novos membros estejam à frente da SEP."

Em um clube devidamente organizado, a renúncia teria que ser apresentada perante o Conselho Deliberativo para aprovação e adoção de providências a serem adotadas com vistas ao futuro da agremiação.Também teria que ser levada imediatamente à  Federação de Futebol do Piauí a documentação da renúncia e a posição do Conselho Deliberativo.

Somente uma carta aos torcedores não é tudo. Pode até ser uma tentativa de conseguir apoios, embora seja pouco provável ou apenas uma repetição do que já tivemos em outras temporadas do nosso futebol. 

E a FFP precisa tomar cuidados especiais porque temos mais clubes no mesmo caminho.E a situação vai perdurar até que tenhamos clubes organizados em bases profissionais e não como amadores de baixa qualidade administrativa.

Se não é possível fazer o Campeonato Piauiense com 8 clubes, que seja feito com 4 ou 5.

Dídimo de Castro
[email protected]

Imprimir