Cidadeverde.com
Política

Governador crê em 2º turno em Teresina e manda recado aos aliados na posse do PT

Imprimir
  • pt9.jpg Gabriel Paulino
  • pt8.jpg Gabriel Paulino
  • pt7.jpg Gabriel Paulino
  • pt6.jpg Gabriel Paulino
  • pt5.jpg Gabriel Paulino
  • pt4.jpg Gabriel Paulino
  • pt3.jpg Gabriel Paulino
  • pt2.jpg Gabriel Paulino
  • pt1.jpg Gabriel Paulino

 

O governador Wellington Dias (PT) aproveitou a posse da nova direção estadual do PT para mandar recado aos aliados e petistas. Ele afirmou que a base aliada terá pelo menos quatro candidatos a prefeitura de Teresina e acredita que haverá segundo turno das eleições. 

Hoje (7), o partido reafirmou a candidatura própria do deputado Fábio Novo nas eleições municipais e reconduziu o deputado federal Assis Carvalho ao cargo de presidente estadual do partido no Piauí.

Segundo o governador, "nunca foi fácil para quem é petista" e alertou que o PT precisa ter a capacidade de somar com os diferentes.

"O que está em jogo agora no Brasil e o desafio de chegarmos em 2022 sem deixar interromper a democracia que construímos até aqui". 

Ao lado do senador Marcelo Castro, presidente do MDB no estado, da vice-governador Regina Sousa e lideranças de partidos aliados como PCdo B, PTC, Wellington Dias afirmou que não é uma tarefa simples unir forças, mas é preciso evitar o isolamento.

"Eu tenho defendido com outros líderes do Brasil que temos que nos somar com qualquer líder de qualquer setor que tenha compromisso com o País com democracia, um país com soberania, com crescimento econômico e com responsabilidade social".

Em seu discurso, o governador chamou atenção para a responsabilidade do meio ambiente com o planeta e resgatou avanços no seu governo.

Segundo o governador, 2018 e 2019 foram anos duros. "Em muitas vezes entramos em choque com medidas que tivemos que tomar e estamos no final desse ano, dizendo que fizemos o dever de casa. Em 2020, 21 e 22 teremos um estado brasileiro que vai seguir evoluindo". 

O governador garantiu que fará o quarto mandato, o melhor da história do estado. 

Eleições municipais

Na perspectiva do governador, a base aliada terá de três a quatro candidatos a Prefeitura de Teresina.

"Avalio que teremos segundo turno nas eleições e quero em 2020 tratar especificamente. Para a população não basta só dizer tem 20 anos na prefeitura é preciso apresentar um projeto que ganha a confiança da população". 

"Onde tiver condições de unificar em uma candidatura única e isso vale para os 224 municípios. Eu vou trabalhar no esforço de no máximo poder unificar. Creio que de 150 a 160 municípios é possível". 

Relação com Ciro Nogueira

O governador nega estremecimento com o senador Ciro Nogueira, presidente nacional dos Progressistas. Ele disse que a ida de aliados para ala adversária será tratada com maturidade.

"Quero seguir com aquilo que nós acertamos com todos os líderes, que em 2020 vamos tratar da eleição de 2020 e 2022 vamos tratar de 22. Eu quero insistir que não vale a pena colocar o carro na frente dos bois. Com maturidade considero importante é seguir insistindo que estamos juntos". 

"Temos situação em municípios que os líderes que são deputados estaduais, federal ou senador tenham um ou outro líder fora da base. Isso ocorre, isso não é o problema e a gente tem maturidade para lidar com isso", disse o governador.

Veja mais:

Regina canta no PT, fala dos desafios do partido e diz que é grampeada; assista

Com MDB à mesa, PT reafirma candidatura de Fábio Novo à prefeitura de Teresina

 

Flash Yala Sena
[email protected] 

Imprimir