Cidadeverde.com
Esporte

Goleiro do São Paulo, Jean sai da cadeia nos EUA e pode voltar ao Brasil

Imprimir

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Goleiro reserva do São Paulo, Jean deixou a cadeia nesta quinta-feira e poderá retornar ao Brasil. A Justiça dos Estados Unidos determinou a soltura do jogador brasileiro após audiência de custódia. Ele não precisou pagar fiança e terá de ficar afastado da mulher, Milena Bemfica. Por outro lado, poderá ter contato com as duas filhas, mas com supervisão de terceiros.

Jean é acusado de agredir Milena na madrugada da última quarta-feira, no hotel Marriot Fairfield, em Orlando, na Flórida Ele teve de se comprometer a comparecer ao tribunal em audiências futuras e a não se envolver em outras ações ilegais.

Apesar da soltura, o processo de Jean continuará nos Estados Unidos. Ele poderá retornar ao Brasil e ser representado por um advogado constituído no estado americano. Na audiência desta quinta-feira, por exemplo, Jean foi representado pelo advogado Jack Goldberger.

Ele foi preso na madrugada da última quarta-feira após ter agredido a sua mulher, Milena Bemfica. Na versão de Jean, a briga começou por causa de ciúme, porque Milena o viu conversando com outra mulher pelo telefone. A alegação foi feita ao policial Edgar Castillo, que prendeu o jogador no hotel Marriot Fairfield, onde o casal estava hospedado com as duas filhas. O policial conversou com as crianças, que relataram ter visto as agressões do pai contra a mãe.

Milena, por sua vez, disse ter sido agredida com oito socos. Ela admitiu que agrediu Jean com a chapinha de cabelo, mas alegou legítima defesa. Segundo o que foi relatado pelo policial no boletim de ocorrências, as duas filhas do casal confirmaram o discurso da mãe sobre as agressões. Na noite de quarta-feira, Milena se manifestou nas redes sociais. Ela agradeceu as mensagens de apoio e pediu "respeito neste momento delicado".

Depois da decisão sobre a soltura de Jean, Milena se pronunciou por meio do Instagram. Ela explicou por que não prestou queixa contra o goleiro. "Pelo simples fato de que, se eu desse, ele teria que pagar tudo aqui nos Estados Unidos, e eu não quero um futuro desse para as minhas filhas", escreveu. "Na hora certa irei me pronunciar. Não mostro meu rosto porque estou irreconhecível. Só quero que entendam que, além de mim e dele, tem duas crianças, nossas filhas inocentes, envolvidas na história... Que vieram (aos EUA) realizar um sonho que infelizmente virou um pesadelo!", acrescentou.

O caso de agressão se tornou público quando Milena publicou vídeos nas redes sociais na manhã desta quarta-feira. A mulher do jogador denunciou o marido por agressão e mostrava nas imagens seu rosto inchado e com hematomas. Logo após a denúncia, Milena apagou o vídeo e gravou um outro, em que diz estar em local seguro e na companhia das duas filhas. Em uma das postagens, a mulher do jogador do São Paulo divulgou a captura da tela de celular de conversas que teve com o marido após as acusações. No diálogo, Jean faz uma ameaça a ela. "Parabéns. Terminou com a minha carreira. E suas filhas vão passar fome", escreveu o goleiro.

Após o caso, a diretoria do São Paulo se reuniu e decidiu rescindir o contrato de Jean que iria até o fim de 2022. O clube aguarda o fim das férias para formalizar a saída do goleiro de 24 anos.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir