Cidadeverde.com
Geral

Quadrilha encapuzada invade edifício comercial e rende vigilantes em Teresina

Imprimir
  • manhattanrivercenter-prediocomercial-roberta.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • manhattanrivercenter-prediocomercial-roberta1.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • manhattanrivercenter-prediocomercial-roberta2.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • manhattanrivercenter-prediocomercial-roberta3.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • manhattanrivercenter-prediocomercial-roberta4.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • manhattanrivercenter-prediocomercial-roberta5.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • manhattanrivercenter-prediocomercial-roberta6.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • manhattanrivercenter-prediocomercial-roberta7.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • tenente-Macyel-Vieira_do-5_BPM.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • paredes.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • policia.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • policia-greco.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • peritocriminal.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • peritocriminal-material.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com

Atualizada às 10h23

Um edifício comercial, na avenida Senador Área Leã, zona Leste de Teresina, foi invadido por pelo menos dez criminosos na madrugada desta segunda-feira (06). Eles renderam os vigilantes e foram até a uma sala onde eram guardados ouro e joias no 10º andar do prédio. 

De acordo com a Polícia Militar, os bandidos chegaram ao prédio por volta das 2h20 e só saíram às 4h. 

O tenente Macyel Vieira, do 5° BPM, explica que o vigilante que fazia a ronda foi o primeiro a ser rendido, em seguida, os demais que faziam a segurança na guarita. Todos foram amarrados. 

"Foram colocados numa sala e a todo tempo um ia lá com a lanterna para saber saber se ainda estavam rendidos. Tudo indica que foi parada dada", disse o tenente. 

Após renderem os vigilantes, os bandidos foram à sala onde ficam armazenados os equipamentos que gravam imagens de câmeras de segurança. 

"Depois subiram para o 10° andar e usaram uma mola de caminhão para arrombar uma sala, ao lado da sala que eles queriam, pois lá era tudo reforçado, tanto as trincas como a porta de ferro. Passaram cerca de 2 horas no local", reitera o tenente.

A PM foi acionada por volta das 6h. Peritos e policiais civis estiveram no local. 

A perícia criminal foi concluída por volta de 10h e o prédio liberado para funcionários. No local foi apreendido um copo de vidro com impressões digitais. 

"Encontramos digitais nas prateleiras e também em um copo. Colhemos o material para analisar, confrontar, saber se  essas digitais são de clientes ou deles. O cofre foi aberto com uma lixadeira no lugar onde fica a trava que foi acessada e destravada. Tudo foi levado. Infelizmente levaram o equipamento que guarda as imagens, mas podem estar armazenadas em nuvem", disse o perito José Ribeiro. 

O proprietário das joias ainda não foi localizado.

Há cerca de um mês uma sala do mesmo segmento também foi arrombada. O caso será investigado pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado  (Greco).


Flash de Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir