Cidadeverde.com
Política

Eleições 2020: presidente do PSDB admite que Sílvio Mendes é o nome mais forte no partido

Imprimir

Acreditando que o ex-prefeito de Teresina, Sílvio Mendes, vai mesmo retornar ao PSDB, o presidente estadual da sigla, Luciano Nunes, admitiu nesta segunda-feira (6) que o ex-tucano é o nome mais forte do seu grupo político para disputar o Palácio da Cidade em outubro. Segundo ele, a força política de Silvio o credencia para comandar a sucessão do prefeito Firmino Filho.

“Sílvio Mendes tem qualidade de sobra. Ele é o nome mais forte, mais conhecido. Eu destaco ele dos demais pelo histórico dele, pela força política que ele tem, pelo que ele representa em termos de gestão”, disse em entrevista à TV Cidade Verde.

Segundo Luciano Nunes, desde o ano passado Sílvio Mendes tem sido convidado para retornar ao partido. Ele não está filiado a nenhuma legenda desde que deixou o Progressistas.

“Desde o ano passado nós temos convidado para ele retornar e acreditamos que até o mês de março ele retornará. As relações dele são aqui. Eu tenho a convicção de Silvio Mendes voltará ao PSDB e será um dos nomes”, garante.

Ainda de acordo com o presidente do PSDB, já está na hora de se pensar numa definição do candidato.

“O PSDB terá candidatura própria. Defendemos isso desde sempre, sobretudo pela gestão que faz. O PSDB tem vários nomes. É hora de começar a pensar nisso. É o momento de se olhar para frente. Aqui em Teresina o prefeito Firmino Filho é quem comanda esse processo”, declarou, negando que haja cobrança interna ao prefeito.

Foto: Yasmim Cunha

“Não vejo nenhum tipo de cobrança do partido, vejo mais da oposição. Ele (Firmino) vai fazer pesquisas, avaliar cenários. Sobre Sílvio, eles têm conversado. Quem apostar em briga e desentendimento entre Firmino e Sílvio Mendes vai cair do cavalo. Eles se entendem como ninguém. Acredito num PSDB forte e unido, junto com os partidos aliados”, declarou.

Para Luciano, o melhor candidato não significa ser aquele que se destaca dos demais. “Pode vir a ser. Às vezes é até natural que seja, mas pode não ser, pois a conjuntura pode levar a outro nome. Então, temos que estar abertos as possibilidades”, finalizou.

Hérlon Moraes
[email protected]

Imprimir