Cidadeverde.com
Geral

Família chega a registrar BO para paciente ser atendida em hospital

Imprimir

Foto: arquivo pessoal

Uma família afirma que registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Segurança e Proteção ao idoso, há um mês, após tentar internar uma idosa de 65 anos no Hospital de Urgência de Teresina (HUT). Passado esse aperreio, mais um drama: com dores, a idosa foi levada nesta segunda (13) ao hospital do Monte Castelo e passou horas deitada em um papelão, segundo denuncia dos familiares ao Cidadeverde.com. 

Maria Sônia Barbosa, de 65 anos,  deu entrada na unidade  na noite de segunda-feira (13) por volta de 20h30. Segundo os familiares, ela passou cerca de 20  horas até ser encaminhada para uma sala de observação do hospital, mas, para eles, a idosa deveria ser levada para um quarto.

A família alega que a idosa ainda não foi internada e teme que piore o quadro de saúde e venha a falecer. A Filha de Sônia, Raimunda Barbosa, conta que a mãe estava se queixando de fraqueza e falta de ar.  "Ela está sem se alimentar desde a noite de ontem. Minha mãe tem um problema grave  nos rins, precisa realizar procedimento de hemodiálise o quanto antes e é necessário estar em jejum", contou.  Sônia ressalta que está é a segunda vez em que a idosa dá entrada no Hospital do Monte Castelo; a outra foi a há um mês.

A família relata que já tentou vaga no Hospital de Urgência de Teresina (HUT), mas não conseguiu e chegou a registrar um boletim de ocorrência. Logo após isso, o HUT solicitou a internação da senhora e a internou, denunciaram. Nesta terça (14) a situação, afirmando a família, é outra, o HUT informou não ter vaga disponível para a idosa.

"Estou com medo, pois se minha mãe não for transferida logo ela pode vir a óbito", lamenta a filha da idosa. A neta de Sônia, Francisca das Chagas, de  30 anos, acrescentou que a idosa está  sem se alimentar.  

Direção

A direção do Hospital do Monte Castelo informou a família, agora no final da tarde, que fará novos exames para reavaliar o caso e, se necessário, solicitar a retirada da idosa da sala de observação e encaminhá-la para uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). 

A médica Maria de Fátima, diretora do hospital do Monte Castelo, informou que  ela mesma entrou em contato  com assessoria  do HUT para verificar a disponibilidade de vagas.  Todos os exames serão realizados no hospital do Monte Castelo. 

HUT

Já o HUT informou em nota que "diante da denúncia de falta de vaga para transferência, a direção do Hospital explica que as transferências entre hospitais são realizadas por meio da regulação do município". Essas transferências "são feitas seguindo critérios de prioridade e criticidade, ou seja, respeitando a gravidade do paciente". Apesar da apreensão da família, uma paciente somente pode dar entrada no HUT após avaliação, regulação e transferência de outro hospital.

O HUT acrescentou que "mão existem transferências realizadas por qualquer outro motivo. Todos seguem os critérios de admissibilidade definidos pela  Regulação de Leitos do Município de Teresina. No caso da senhora Maria Sonia Barbosa, a médica da regulação de leitos avaliou o pedido e solicitou novos exames para reavaliar a caso". 


Flash de Yasmim Cunha (especial para o Cidadeverde.com)
Redação Carlienne Carpaso
[email protected] 

Imprimir