Cidadeverde.com
Geral

Piauí estabelece estado de alerta contra novo coronavírus e plantão de monitoramento

Imprimir
  • sesapi-12.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • sesapi-11.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • sesapi-10.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • sesapi-9.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • sesapi-8.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • sesapi-7.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • sesapi-6.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • sesapi-5.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • sesapi-4.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • sesapi-3.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • sesapi-2.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • sesapi.jpg Roberta Aline / Cidade Verde

As autoridades em Saúde e Vigilância Epidemiológica do Piauí estabeleceram estado de alerta contra o novo coronavírus no Estado. A decisão foi tomada em reunião a portas fechadas realizada nesta terça-feira (28) na Secretaria Estadual de Saúde. Ficou acertado, ainda, que será instalado um plantão de monitoramento de casos suspeitos e confirmados da doença. 

Até a manhã de hoje mais de 100 mortes pelo coronavírus foram confirmadas na China. O Piauí está preocupado porque mantém relações comerciais com o país.  O secretário estadual de Saúde, Florentino Neto, ressalta que nenhuma ocorrência do novo vírus foi registrada no Estado, mas diz que é preciso que a rede de saúde seja organizada para atuar em casos suspeitos e confirmados.

Ainda não foi definido quando o plantão de monitoramento será instalado. "Todas as medidas estão sendo adotadas. Tanto as preventivas, quanto as de organização da rede para que a gente possa estar atuando. Estamos em contato permanente com as autoridades em saúde pública no Brasil. Vamos implantar plantão de 24 horas de monitoramento. Discutimos a capacitação de equipes de urgência e emergência nos hospitais, algumas necessidade como aquisição de insumos e equipamentos e discutimos estabelecimento de um hospital de referência, que no caso é o Hospital Nathan Portela", adiantou o secretário.

Pacientes com suspeitas da doença no Piauí serão encaminhados ao Hospital Nathan Portela. O diretor da unidade de saúde, o médico infectologista José Noronha, explica que as equipes de  urgência e emergência dos hospitais, inclusive o Serviço Móvel de Urgência (Samu), deverão estar preparadas para atender os casos sintomáticos.

"Esse paciente chegará em um hospital regional ou unidade satélite. Tem que ser um caso suspeito.  Qualquer síndrome respiratória é um caso suspeito ? Não.  Tem que ter um vínculo epidemiológico.  Pelo  menos nas últimas duas semanas ter tido contato  com um caso confirmado ou que nas últimas semanas tenha viajado para alguma província, estado ou país que tenha tido algum caso confirmado ou suspeito da infecção pelo novo coronavírus", disse o diretor.

O médico explica que  entre os sintomas da doença está febre, tosse, dor de garganta, fraqueza, falta de ar, entre outros. "Mas é preciso ter tido vínculo epidemiológico", destaca o diretor do Nathan Portela.

A reunião contou com a presença de diretores de hospitais estaduais, representantes da Fundação Municipal de Saúde, conselho de secretários municipais de saúde, HUT, HGV, Hospital Natan Portela, Lacen, Maternidade Dona Evangelina Rosa,  Vigilância Sanitária e representantes da Infraero.

 


Izabella Pimentel
[email protected] 

Imprimir