Cidadeverde.com
Geral

OMS declara que coronavírus é uma emergência de saúde internacional

Imprimir

Fonte: Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, NIH, EUA

 

A OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou na tarde desta quinta (30)  que a disseminação do novo coronavírus é uma emergência de saúde internacional. A entidade reconheceu que o vírus representa um risco não só na China, onde ele surgiu no fim de 2019.

A declaração serve como um aviso para todos os Estados membros das Nações Unidas de que o órgão máximo de saúde no mundo considera a situação séria. 
"Nós precisamos agir agora para ajudar outros países a se preparar para a possibilidade [da entrada do vírus]", disse Tedros Adhanom, diretor-geral da OMS. "A razão para a declaração não é pelo que está acontecendo na China, mas pelo que acontece nos outros países." 

Segundo Adhanom, a ação visa evitar a expansão da doença, considerando que não se sabe como países com menos condições financeiras vão lidar com casos do vírus. Segundo o diretor da OMS, não há necessidade de medidas adicionais que restrinjam movimentação e comércio internacional.

A decisão foi tomada depois do aparecimento de casos de infecções em pessoas que não viajaram para a China, como nos EUA, na Alemanha e no Japão.
Didier Houssin, coordenador do comitê de emergência da OMS, afirmou que a declaração de emergência internacional fará com que a OMS possa questionar restrições de viagens, como negação de vistos, fechamento de fronteiras e quarentena de viajantes em boas condições. 

"Por que o país tomou essa decisão? Quais são os sinais para ter tomado a decisão? Poderia reconsiderar a decisão?", diz Houssin. "Tais medidas não podem ser um exemplo a ser seguido, mas uma decisão a ser reconsiderado."
O coronavírus chinês surgiu pela primeira vez no fim do ano passado em Wuhan, na China. A OMS (Organização Mundial da Saúde) foi notificada no dia 31 de dezembro 2019 sobre um surto de pneumonia de causa então desconhecida. 

Até esta quinta (30), mais de 8.200 pessoas já foram infectadas em pelo menos 15 países e 171 morreram, todas na China. 

Não há registros de pessoas infectadas no Brasil, embora o Ministério da Saúde esteja investigando nove casos suspeitos, segundo informações divulgadas na quarta (29).

Não há registros de pessoas infectadas no Brasil, embora o Ministério da Saúde esteja investigando nove casos suspeitos, segundo informações divulgadas na quarta (29).

Fonte: Folhapress

Imprimir