Cidadeverde.com
Geral

Orquestra Sinfônica de Teresina intensifica laços com Orquestra alemã

Imprimir

Foto: Ascom/FMCMC

 A Orquestra Sinfônica de Teresina enviou dois de seus membros para uma viagem de intercâmbio musical. O spalla David Denilin e o segundo regente Hilson Costa passaram um mês participando das atividades da Niederrheinische Sinfoniker, na Alemanha.

Na ocasião, David Danilin integrou a sinfônica alemã como músico ativo, sendo tratado de igual para igual nas cobranças técnicas e profissionais. Assim, ele pôde ter experiências sobre a rotina profissional de músicos alemães, no quesito desempenho, dedicação e estudo.

“Uma Orquestra europeia é o que temos como referência da música erudita mundial, afinal são os precursores do estilo. Foi a realização de um sonho que ainda me ajudou como músico, como profissional, e que não deixou de contribuir até mesmo para minha vida pessoal, me proporcionando mais maturidade. Foram vários desafios que me fizeram sentir uma grande responsabilidade e entender que somos mais capazes do que pensamos, basta focar e acreditar”, comemora David.

Desde 2016, a Orquestra Sinfônica de Teresina e a Dniederrheinische Sinfoniker, da Alemanha, vêm realizando um intercâmbio entre seus músicos, com o objetivo de trocar experiências e compartilhar o que cada uma tem de melhor.

O projeto começou com a ida do maestro Aurélio Melo e do percussionista Gilson Fernandes à cidade alemã Mönchengladbach, em janeiro de 2016, a partir do incentivo e contatos conquistados por Célia Bonfim, piauiense estudante de música radicada na Alemanha. Em outubro do mesmo ano, a OST recebeu a violinista ucraniana Tatjana Cherepashchuk. Em 2017, o alemão Dominik Lang esteve na capital trabalhando com os músicos da orquestra local. Em 2019, Lang retornou à Teresina, dessa vez, na companhia do violista Martin Böner.

A OST é mantida pela Associação dos Amigos da Orquestra Sinfônica de Teresina com a ajuda da Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves. Desde a sua criação, em 1993, a Orquestra se propõe a dar um tratamento sinfônico à música popular brasileira, tendo a primazia de transpor as melodias de grandes compositores populares, para a grandiosidade do som sinfônico, com a finalidade de desenvolver um trabalho artístico e educacional, promovendo apresentações em teatros, colégios e praças.

Da Redação 
[email protected]

Imprimir