Cidadeverde.com
Economia

“Nós estamos à beira de uma recessão global”, diz economista sobre coronavírus

Imprimir

Os reflexos da pandemia mundial do coronavírus também já são sentidos no âmbito econômico. Em entrevista ao Jornal do Piauí nesta quinta-feira (12), o economista Eduardo Lima disse que os efeitos financeiros são globais.

“Nós estamos à beira de uma recessão global. Ela não tem origem na economia em si, ela tem origem nessa recém-pandemia declarada pela OMS do coronavírus”, afirmou. 

Todos os continentes registraram casos de infecção por Covid-19 e o contágio tem sido avançado. A prospecção da OMS é que esse contágio seja mais rápido nos próximos dias. 

De acordo com o economista, os reflexos se dão tanto do lado monetário, bolsas de valores e mercado financeiro, como no seu lado social. 

“Comércios, indústrias, fábricas, o setor de serviço está sendo diretamente afetado por essa pandemia, pela questão do vírus a medida em que fábricas estãos endo fechadas, funcionários estão sendo dispensados, há uma restrição, como a gente viu na Itália, uma restrição de deslocamento nos próprios habitantes”, pontuou.

Foto: Yasmim Cunha/Cidadeverde.com

Após surgir na China, os casos se espalharam pela Europa e agora incidem em número nos Estados Unidos.

“O fato de ser uma crise que não nasça na economia e sim na saúde pública, ela pode cessar bem mais rápido do que uma crise comum, como a crise de 1929, com a quebra da Bolsa de Valores de Nova York ou a de 2008”, considerou.

Previsão de queda no PIB do Brasil

No Brasil o número de casos é considerado baixo se comparado a outros países, no entanto, o economista garante que os reflexos são previstos.

“Existe uma projeção do PIB de 2020, uma nova projeção do PIB que foi de 1,1% no ano passado, havia uma prospecção de ser 2,7%-2,4% agora já está sendo pontuada em 0,7% o crescimento do Produto Interno Bruto do Brasil em 2020”, alertou.

Queda no preço do petróleo

Segundo o economista, há uma previsão também de queda de preço no petróleo que pode afetar a economia também do ponto de vista do mercado de combustíveis.

Crise na China

A China é uma das maiores economias do mundo. Países que têm transações comerciais com o país, como o Brasil, deve sofrer no âmbito das importações e exportações. 

Valmir Macêdo
[email protected]

Imprimir