Cidadeverde.com
Esporte

Sampaoli já coloca em xeque Ricardo Oliveira e Di Santo no Atlético-MG

Imprimir

Jorge Sampaoli já pediu à diretoria do Atlético-MG para realizar mudanças no plantel. O técnico deseja reduzir o elenco que tem à disposição e planeja a contratação de cinco reforços -dois atacantes entre eles.

Foto - Bruno Cantini - Atlético-MG

Os pedidos do argentino colocam em xeque dois nomes: Franco Di Santo e Ricardo Oliveira. Ele já havia apontado a dupla como ponto frágil do grupo antes mesmo de assinar o contrato com os mineiros.

Os dois centroavantes foram titulares no único jogo comandado pelo treinador -vitória por 3 a 1 sobre o Villa Nova, pela nona rodada do Campeonato Mineiro. Eles, porém, não devem seguir no Atlético em 2020. A reportagem apurou com uma pessoa ligada à comissão técnica sobre a possível a saída da dupla durante o mercado da bola.

Pensando justamente nas eventuais negociações dos atletas, o técnico já fez solicitações para o setor ofensivo ao departamento de futebol. O diretor-executivo, Alexandre Mattos, tem a incumbência de encontrar nomes para o ataque neste período.

A intenção de Jorge Sampaoli é ter jogadores que deem mais mobilidade à linha de frente. A ideia do argentino é ter uma equipe que pressione a saída de bola e consiga atacar em velocidade. É quase unanimidade nos bastidores do Atlético que ambos não têm esse perfil.

Aos 39 anos, Ricardo Oliveira tem contrato com o Atlético até o fim de 2020. O atacante é dono do segundo maior salário do elenco na CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), atrás somente de Diego Tardelli. Ele fatura R$ 276 mil por mês em seu último ano de compromisso.

Franco Di Santo, de 31 anos, também tem acordo com os mineiros até dezembro deste ano. O centroavante argentino recebe R$ 180 mil mensais na CLT.

THIAGO FERNANDES
BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) 

Imprimir