Cidadeverde.com
Esporte

Deputado Júlio Arcoverde no comando do River

Imprimir

A partir desta semana o Deputado Júlio Arcoverde assume a presidência do River Atlético Clube, em face do afastamento de Genivaldo Campelo para concorrer nas eleições municipais deste ano. 

Foto: Arquivo/CidadeVerde.com

Trata-se de um esportista preparado para o cargo, uma vez que integrou várias diretorias da agremiação tricolor, inclusive na conquista do tetracampeonato, quando era Presidente o Senador Ciro Nogueira. 

Arcoverde, inclusive, já assumiu a presidência em outras oportunidades. A sua condição de riverino não é de agora. Vem dos tempos de garoto, seguindo os passos do pai, o ex-governador e ex-senador Dirceu Mendes Arcoverde.

Creio que o atual Presidente Genivaldo Campelo continuará trabalhando no clube, mas de maneira informal. Afinal, o afastamento é temporário, para retorno após a disputa eleitoral.

No momento o River tem pela frente o encerramento da Copa do Nordeste, faltando apenas o jogo com o Santa Cruz de Recife, marcado para o Estádio Albertão.  Falta também a conclusão do Campeonato Piauiense, no qual o tricolor faz uma das piores campanhas de todos os tempos, estando, inclusive, ameaçado de rebaixamento.

O terceiro compromisso da temporada é o Campeonato Brasileiro da Série D, que exige uma preparação bem feita para não haver um fracasso igual ao registrado na Copa do Nordeste.

O passo inicial será a definição de uma nova comissão técnica. Em seguida virá a necessidade de formação de um elenco capaz de batalhar por uma posição de destaque na competição nacional.

Em entrevista à imprensa, o Secretário Geral da CBF, Wálter Feldman, declarou que ainda não é possível decidir sobre o retorno das competições interrompidas: Campeonatos Estaduais, Copa do Brasil, Copa do Nordeste, Brasileiro Feminino A-1 e A2, Brasileiro Sub-17 e Copa do Brasil Sub-20. Para o dirigente da CBF, poderemos ter um "retorno progressivo" dos eventos.

Realmente há necessidade de uma espera por resultados concretos da evolução ou não do coronavírus, a doença que chegou ao Brasil no começo do ano.

Falaram que o pico da doença seria na primeira quinzena de abril;passou para a segunda e há palpites de que o pico mesmo será em maio, em junho. Aguardamos novidades (e que sejam boas ) para os próximos dias.

Dídimo de Castro 
[email protected]

Imprimir