Cidadeverde.com
Entretenimento

'E sigo secretária', diz Regina Duarte em publicação na internet

Imprimir

Foto: Isac Nóbrega/PR

 

A atriz Regina Duarte postou em sua conta no Instagram nesta sexta-feira (5) que ainda trabalha na Secretaria de Cultura do governo Bolsonaro. "E sigo secretária", diz, quinze dias depois de anunciar que deixaria o mesmo posto, no qual permaneceu oficialmente por cerca de dois meses.

Na mesma publicação, Regina diz que não se permitiria deixar "incompletas lutas e conquistas para o setor cultural" e afirma que foi convocada pelo Ministerio do Turismo a participar de uma reunião do Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual.

Trata-se de um dos maiores nós na administração do governo Bolsonaro, com atrasos de repasses anteriores a 2018 e que podem somar cerca de R$ 2 bilhões. Esse valor deveria ter sido destinados a editais de fomento a indústria do audiovisual, por lei, porém seguem parados.

Até aqui, um dos nomes mais fortes para assumir o lugar de Regina era o ator Mário Frias. Porém, nos corredores da secretaria essa é uma hipótese que vem perdendo força.

Segundo a Secretaria Especial de Cultura, Regina permanece trabalhando no órgão. Sua assessoria de imprensa não informou quando o Diário Oficial da União publicará a exoneração da atriz.

O Comitê Gestor do Fundo Setorial deve se reunir na próxima semana - a informação, porém, não foi confirmada pela assessoria de imprensa da secretaria.

Recentemente, após realizar um estudo sobre o Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), a Ancine constatou déficit financeiro de aproximadamente R$ 650 milhões para cumprir os compromissos de investimentos assumidos até o final de 2018. Essa é uma das pautas possíveis na reunião.

Quando disse que deixaria a secretaria da Cultura, Regina também anunciou que o presidente Bolsonaro havia destinado a ela um cargo na Cinemateca Brasileira, em São Paulo.

A instituição passa por uma crise financeira, com falta de repasses e salários de funcionários atrasados desde abril, e a nomeação de Regina na instituição já foi descartada pelo governo.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

... e por falar em Cultura... ... aceitei assustada o convite para a Missa?o. Aceitei por amor ao meu Pai?s, por paixa?o irrefrea?vel por Arte e Cultura, por confianc?a no governo Bolsonaro. Aceitei porque muita gente, muita gente mesmo, quando cruzava comigo, em qualquer lugar, com o olho brilhando de esperanc?a, dizia: “Aceita, Regina”! Minha inexperie?ncia em gesta?o pu?blica foi crucial para que eu descobrisse, ate? com certo atraso, que o Projeto de Cultura com que sempre sonhei era invia?vel, porque eu estava enredada num universo muito mais preocupado com Ideologias do que com Cultura. As presso?es cotidianas de gente que desconhece a ma?quina da administrac?a?o pu?blica foram companheiras constantes. Sempre me pareceu ni?tido que havia uma torcida nas mi?dias, nas redes sociais para que a minha gesta?o na?o se consolidasse. E sigo Secreta?ria. Na?o me permito sair deixando incompletas lutas e conquistas para o Setor Cultural. Um exemplo? A Convocac?a?o pelo Ministe?rio do Turismo, da reunia?o do Conselho Gestor da ANCINE para que o Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) seja liberado. Editais que dara?o novo fo?lego a? Cultura Brasileira sera?o novamente possi?veis. Trabalho ainda na edic?a?o de um vi?deo com textos e imagens que falam do Projeto de Cultura que pude construir com minha Equipe. Na?o foi pouca coisa. Em breve vou ter a alegria de comunicar as ac?o?es que minha passagem pela Secretaria Especial da Cultura deixa como legado a quem me suceder.

Uma publicação compartilhada por Regina (@reginaduarte) em

 

GUSTAVO FIORATTI
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)

 

Imprimir