Cidadeverde.com
Política

Governador comenta recorde de mortes e diz que piauienses demoram a buscar médicos

Imprimir

Nas últimas 24 horas o Piauí atingiu a triste marca de 29 óbitos por Covid-19.  Após o recorde negativo, o  governador Wellington Dias conversou com diretores de hospitais da rede estadual e foi informado que as pessoas com sintomas da doença estão demorando a buscar ajuda médica. 

Wellington Dias faz um apelo para que as pessoas com sintomas da doença procurem assistência médica o quanto antes. Visivelmente preocupado, o  governador alertou que o coronavírus é violento e disse que ontem foi o “pior dia da pandemia”. Além do número de morte, o estado também bateu recorde em internações.

“Ontem, infelizmente, tivemos o pior dia dessa pandemia na área de óbitos. Foram 29 óbitos. 29 pessoas, seres humanos, pessoas que têm família, que têm história que perdemos para o coronavírus. Chamo atenção que chegamos a 726 óbitos no estado do Piauí. Dialogando com os diretores de hospitais e equipes de UTI  vimos que estamos com um problema grave. Pessoas  estão  chegando na rede hospitalar depois de ficar em casa doente. Aguardam piorar e chegam no hospital em situação já grave. Esse vírus é violento, ele atinge o pulmão e atinge numa velocidade muito grande. Tendo sintomas como tosse febre. No primeiro sintoma é não ter dúvida e procurar um médico. Tratando cedo a gente consegue vencer o coronavírus. Se você ou pessoa da sua proximidade tiver sintoma procure o médico pra gente evitar óbito pelo amor de Deus”, pede o governador.

Dias pede que as pessoas baixem o aplicativo Monitora Covid [baixe aqui] e, principalmente, procurem a unidade de saúde mais próxima de casa. 

O aplicativo conta com 69 profissionais da saúde, que passaram por treinamento e estão à disposição para realizar o atendimento on-line, direto de uma sala de controle que funciona no Hospital Getúlio Vargas.

O Monitora Covid-19 foi desenvolvido por instituições privadas, em parceria com o Consórcio Nordeste; a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia (Secti); a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) e a Fundação Estatal Saúde da Família (Fesf-SUS/FESF-tech). O aplicativo está disponível para Android e também para sistemas IOS, necessitando de uma internet de baixa conexão para a utilização. 

 

Izabella Pimentel
[email protected]

Imprimir