Cidadeverde.com
Geral

Sargento da PM é denunciado por agredir e tentar matar a companheira em Teresina

Imprimir
  • vbcbcv.jpg arquivo pessoal
  • sdfgsfdgs.jpg arquivo pessoal
  • fsfsdfs.jpg arquivo pessoal
  • fsdfsdf.jpg arquivo pessoal
  • boleim_oc.jpg arquivo pessoal
  • adsfdsf.jpg arquivo pessoal

Um sargento da Polícia Militar do Piauí foi denunciado por agredir e tentar matar a companheira, uma empresária de 37 anos, na última quinta-feira (2), no residencial Jacinta Andrade, zona Norte de Teresina.  O suspeito foi identificado como João Paulo de Lima Menezes. O casal estava com união estável há um ano e moravam na mesma casa. Após o crime, o suspeito chegou a ligar para a vítima pedindo desculpas, mas ela recusou o contato. A empresária conseguiu fugir das agressões e pedir ajuda a uma vizinha. 

A vítima prestou depoimento e registrou a ocorrência na Delegacia de Defesa da Mulher- Norte.  Em depoimento, a vítima relata que o sargento, durante as agressões, disse que ela "era dura de morrer", mas que mesmo assim iria matá-la e jogar o "corpo no rio para que os peixe a comessem". 

No depoimento à polícia, a empresária disse que por volta das 20h de quinta-feira (02), o sargento começou a xingá-la e ameaçá-la de morte em sua residência, que daquele dia "ela não passaria". Em seguida, ele começou a agredi-la fisicamente com puxões de cabelo, arrastando-a pelo chão da casa.  A família relata que ele tinha ingerido bebida alcoólica antes das agressões iniciarem. 

A família e o depoimento da vítima afirmam que o sargento a sufocou e, em um dado momento, a soltou para buscar a sua arma de fogo. Nessa hora, a vítima relata que aproveitou para se trancar no banheiro, mas o sargento conseguiu arrombar a porta e colocá-la dentro do carro. Foi nesse momento que, segundo relato da vítima à polícia, ele disse que iria matar e jogar o corpo no rio.

Já dentro do carro, a vítima conseguiu destravar a porta e pular do veículo pedindo socorro a uma vizinha. O irmão da vítima chegou ao local e o sargento empreendeu fuga. 

Familiares relataram que a vítima está abalada com o ocorrido e  no momento está aos cuidados de parentes. A família confirma  que foi a primeira vez que a vítima é agredida pelo companheiro. 

O Cidadeverde.com tentou contato com o sargento por meio de um número de telefone pessoal, mas as ligações caíram na caixa postal. O espaço está aberto para a defesa.

Em contato com o comandante geral da Polícia Militar do Piauí, o coronel Lindomar Castilho afirmou que o sargento não foi localizado durante o flagrante e que até o momento não se apresentou. "A ocorrência é grave", ressalta o coronel, destacando que a Delegacia da Mulher já iniciou os procedimentos necessários e que a Polícia Militar irá instaurar o procedimento administrativo disciplinar para apurar o caso. O policial está com escala de trabalho para domingo (05) e se não comparecer também poderá responder por crime de deserção, que envolve o abandono de serviço. 

 

 

Da Redação
[email protected] 

Imprimir