Cidadeverde.com
Política

Equilíbrio na 1º fase de flexibilização indicará reabertura das demais, diz comitê

Imprimir

A reabertura das próximas fases da retomada das atividades econômicas depende do desenrolar da primeira etapa de flexibilização, iniciada nesta segunda-feira (06), garante o professor Washington Bonfim, membro do Comitê Gestor de Medidas para Enfrentamento da Pandemia COVID-19 da Prefeitura de Teresina. 

O professor alerta que as medidas de reabertura poderão retroceder caso os protocolos de segurança não sejam cumpridos com o consequente aumento do número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. A primeira fase reabriu os setores da construção civil, agropecuária, indústria e o comércio ligado a cadeia da construção civil. 

"Nós estamos trabalhando em um nível de segurança alta, buscando encontrar o ponto ideal para que as atividades continuem sendo abertas. Nós não temos a menor dúvida de que uma perda, por mínimo que seja, do controle desse processo (de reaberutra) será objeto de análise, inclusive de medidas radicais de retrocesso".

Bonfim ressalta que "nos dois próximos (finais de semana) nós vamos ter restrições no funcionamento das atividades comerciais, justamente para buscar equilíbrio e segurança nesse processo de retomada".

"Nós não temos a menor dúvida de que algo dando errado nós faremos voltar as medidas para que se mantenha sempre a segurança da população. É importante dizer que há um estranho movimento no centro da cidade, nós estamos monitorando isso pelas equipes de viligância e da Guarda Municipal. Nós vamos garantir que só funcione os serviços que estão autorizados pelo decreto. É um pacto pela cidade, as demais atividades dependem do desempenho que nós tivermos nesse momento inicial de abertura". 

A Prefeitura de Teresina busca o equilíbrio entre o atendimento médico à população e a reabertura econômica. "Esse equilíbrio sempre será determinado por essa questão da capacidade de atendimento na saúde. Ela que determina o nosso limite, determina o nosso planejamento, essa retomada". 

No último final de semana, as pesquisas de isolamento social apontaram os índices de 53% de isolamento em Teresina e de 49% no Piauí. Esses números, para o professor, representam um sentimento de adesão em massa pela população apesar de algumas atuações pela Guarda Municipal e Polícia Militar diante do descumprimento dos decretos de isolamento. 

Primeiros Setores autorizados:

1) Agropecuária (agricultura, pecuária, produção Florestal, pesca e aquicultura)

2) Indústria (extrativista e transformação)

3) Construção Civil (obras, serviços de arquitetura, engenharia, testes e análise técnica); 

4) Comércio (somente ramo da construção civil)

Atacadista e varejista da construção civil (madeira, ferragens, ferramentas, materiais elétricos e de construção).

O professor comenta que observar os índices da transmissibilidade do vírus e a ocupação dos leitos clínicos e de UTIs nesse processo de reabertura "é um compromisso do prefeito Firmino Filho, compromisso da prefeitura (de Teresina) no sentindo de buscar a maior segurança possível para a população, como estamos fazendo desde o princípio dessa crise da pandemia do coronavírus".

Até o começo da manhã desta segunda (06), o Piauí estava com 530 leitos de UTIs ocupados, com 109 leitos vagos.  "É um fator que preocupa. Desde o primeiro momento a prefeitura tem investido na capacidade de atendimento não só de leitos clínicos, mas de UTIs. A Prefeitura vai continuar fazendo essa ampliação através do hospital de campanha do HUT, que deve funcionar nos próximos dias".


Novas Reaberturas

O professor comenta que está sendo elaborada um cronograma de reuniões para definir os protocolos específicos para as próximas fases de reaberutra. O monitoramento dessa primeira fase irá comandar a reabertura das demais. Bonfim destaca que a Guarda Municipal e a Vigiliância Sanitária irá fiscalizar e atuar quem desumprir os decretos. 

"É esse monitoramento que vai determinar as próximas fases. Estamos mantendo conversa com diversos setores; hoje já tivemos algumas conversas para estabelecer um cronograma pré-reuniões sobre os protocolos específicos. Nós devemos continuar fazendo esse trabalho com a vigilância sanitária municipal e vigilancia estadual, mas nosso olhar está focado no desempenho dos números em saúde em função desses primeiros dias de retomada para que a gente possa garantir um cronograma seguro".

 

Carlienne Carpaso
[email protected] 

Imprimir