Cidadeverde.com
Esporte

Na véspera da final, Bruno Henrique torce pela permanência de Jorge Jesus no Flamengo

Imprimir

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

 

Na véspera de poder conquistar mais dois troféus, o da Taça Rio e o do Campeonato Carioca de forma antecipada, caso vença o Fluminense, nesta quarta-feira, às 21h30, no Maracanã, o assunto no Flamengo é a permanência ou não do técnico Jorge Jesus. Este foi o tema principal na entrevista coletiva, desta terça-feira, do atacante Bruno Henrique.

"O Mister não comentou nada com a gente. Se chegou essa proposta para ele ou não, quem tem que tratar sobre essa possibilidade é ele com a diretoria. A gente torce e espera que ele fique conosco bastante tempo de contrato que tiver. Essa possibilidade é pessoal dele, e ele que tem que resolver com a direção o que é melhor para ele", disse o atleta, referindo-se a uma possível ida do treinador para o Benfica.

"O Mister é bem comunicativo. Brincamos com ele, e ele brinca com a gente, até em questão de contrato mesmo. Quando ele estava renovando, sempre deixou claro para a gente qual era o desejo dele, sempre falou tudo com a gente. Não vejo silêncio particular dele conosco. Com o torcedor, não sei. Com a gente, particularmente, nós o vemos bem animado e contente com tudo que está em torno dele no Flamengo", afirmou Bruno Henrique, que não aceita a condição de favorito no confronto diante do Fluminense

"Clássico não tem favorito. Eles não fizeram gol desde a volta do campeonato, amanhã pode ser que façam. Não sei, mas tomara que não façam. Nosso time também voltou sem tomar gol, e a gente quer continuar fazendo isso. Clássico é um jogo bem diferente", disse o autor dos dois gols na vitória sobre o Volta Redonda na semifinal.

Caso o Flamengo conquiste os dois títulos nesta quarta-feira, a equipe ficará mais um mês sem atuar, pois o Campeonato Brasileiro, segundo a CBF, só vai começar em 9 de agosto. A possibilidade não agrada Bruno Henrique. "É bem difícil. A gente retomou com todos os cuidados, os treinos e os jogos também. Se isso acontecer, ficar um mês parado novamente já acho bem ruim para mim, particularmente", afirmou. "Nunca tinha ficado tanto tempo assim sem treinar, sem estar em campo. A gente tem que saber lidar com a situação que a gente está vivendo. É uma situação bem complicada, com várias mortes no mundo inteiro. A gente tem que cumprir com tudo que a gente trabalha no Flamengo, com tudo que eles passam, para a gente poder retomar o futebol da melhor maneira."

Perguntado sobre uma possível rivalidade com o companheiro Gabriel Barbosa pela artilharia do time ou do campeonato, Bruno Henrique destacou o clima de amizade entre os dois. "Por incrível que pareça, não tem rivalidade. A gente consegue assimilar isso muito bem. Ano passado eu fui artilheiro, neste ano é o Gabriel. Quem tem a ganhar é o Flamengo. Ficamos felizes de ter o trabalho reconhecido."

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir