Cidadeverde.com
Esporte

São Paulo e Corinthians ficam no 1 a 1, após polêmicas

Imprimir
São Paulo e Corinthians ficaram no 1 a 1 no clássico deste domingo no Morumbi e, assim, não mudam de posição na classificação do Campeonato Paulista após oito rodadas: o time alvinegro é o vice-líder, com 18 pontos, três atrás do Palmeiras, e o time tricolor é o terceiro, com 17.




A igualdade no placar não significa que os times jogaram mal. Pelo contrário. A partida foi movimentada e os gols saíram no segundo tempo graças a ótimas jogadas individuais. Os são-paulinos comemoram primeiro com Borges, aos 29 minutos, após ótima troca de passes envolvendo Hernanes. E os corintianos empataram aos 35 minutos, quando Boquita tocou entre as pernas de Renato Silva, lançando para o meio da área André Santos, na corrida, que só tocou na saída de Bosco.

Antes da partida começar, a polêmica dos ingressos foi substituída pela das escalações. O São Paulo entrou com um time reserva, sem Washington nem no banco de reservas, poupado. "Achei importante preservar alguns jogadores para a estreia do time na Libertadores na quarta-feira [contra o Independiente, no Morumbi]. Não daria tempo de recuperar todos", comentou o técnico Muricy Ramalho.

 "Optei por jogar com três zagueiros e liberar um pouco mais os lados do time", explicava o técnico Mano Menezes. "Acho que esse esquema encaixa bem com o que o Muricy colocou em campo." Com essa formação, Escudero se tornou titular e Souza, que vinha sendo criticado pelos erros em finalizações nos jogos, foi para o banco de reservas.

Não escalar seus melhores jogadores não significa que o São Paulo iria recuar e não jogar. Dominou o primeiro tempo. Atacou com muita força e criou chances com Richarlyson, Dagoberto, Wagner Diniz e Junior César. Teve chutes de todos os jeitos. Ao Corinthians, acuado e com falhas na saída para o ataque, só restou cometer faltas. E foram muitas.

Numa destas, o volante corintiano Túlio fez uma grande bobagem, aos 37 minutos do primeiro tempo. Tentou cavar um pênalti e tomou uma dura de André Dias. Ao se levantar, deu um murro no zagueiro são-paulino e o auxiliar alertou o árbitro José Henrique de Carvalho, que o expulsou.

Com um a menos, o Corinthians levou o jogo como pôde. Poderia ter tomado um gol e seria justo. A história mudou quando Wagner Diniz, aos 28 minutos do segundo tempo, foi expulso de jogo por uma falta dura em André Santos, no meio-campo (tomou o segundo cartão amarelo). Aí, com Souza em campo, o Corinthians tentou atacar.

Mas antes viu o São Paulo na frente no placar, com gol de Borges. O empate com André Santos não ajudou, pois o lateral-esquerdo do Corinthians também foi expulso (por receber o segundo cartão amarelo num carrinho em Junior Cesar na lateral do campo). A partir disso, o São Paulo pressionou bastante, mas não venceu. E o Corinthians, como pode, segurou o 1 a 1.


Fonte: Estadão
Tags:
Imprimir