Cidadeverde.com
Geral

Falso funcionário do CRAS aplica golpe em troca de cestas básicas e teste da Covid

Imprimir

Foto: PMT

Um falso funcionário do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) está aplicando golpes em Teresina. De acordo com a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), o  golpista aborda as vítimas e solicita uma "uma colaboração de R$ 20,00 em troca do benefício de duas cestas básicas e um teste da Covid-19, que o cidadão teria acesso na unidade do CRAS Sul III". O caso já foi repassado às autoridades policiais. 

A Semcaspi alerta para a situação e pede que as pessoas abordadas pelo golpista registrem imediatamente um Boletim de Ocorrência no Distrito Policial. "Uma pessoa mal intencionada está se passando por servidor público do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), abordando os moradores do bairro Promorar, na zona Sul de Teresina".

"A Semcaspi esclarece que a política de assistência social como unidade pública, que oferta serviços a famílias e indivíduos em situação de vulnerabilidade social, não cobra nenhum tipo de contribuição financeira para essa proteção e que a pessoa não faz parte do quadro de funcionários do órgão", diz o órgão.

 

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (SEMCASPI) informa que uma pessoa mal intencionada está se passando por servidor público do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), abordando os moradores do bairro Promorar, na zona Sul de Teresina, e solicitando uma colaboração de R$ 20,00 em troca do benefício de duas cestas básicas e um teste da Covid-19, que o cidadão teria acesso na unidade do CRAS Sul III. A Semcaspi esclarece que a política de assistência social como unidade pública, que oferta serviços a famílias e indivíduos em situação de vulnerabilidade social, não cobra nenhum tipo de contribuição financeira para essa proteção e que a pessoa não faz parte do quadro de funcionários do órgão. O caso já foi repassado para as autoridades policiais da região. A Semcaspi pede ainda que as pessoas que forem abordadas na sua residência, formalizem, imediatamente, o registro do boletim de ocorrência na delegacia de Polícia.

 

Carlienne Carpaso (com informações da Semcaspi)
[email protected] 

Imprimir