Cidadeverde.com
Geral

Sasc confirma que Guarda municipal suspeito de estupro trabalha em abrigo

Imprimir

Uma declaração assinada pela coordenação do Lar da Criança Maria João de Deus, mantido pela Secretaria de Assistência Social e Cidadania (SASC), confirma que o agente da Guarda Municipal de Teresina preso por suspeita de estupro de uma criança faz parte dos quadros da instituição. 

De acordo com o documento, Eliton Ribeiro da Silva atua na casa desde abril de 2018, como educador social. O local tem como finalidade acolher crianças de 0 a 12 anos em situação de abandono e vulnerabilidade social. 

Ainda no documento, a direção do Lar da Criança sai em defesa do agente da GCM. 

“[..]durante esse período, nunca tivemos nenhuma reclamação sobre seu comportamento em relação às crianças e a qualquer funcionário. Sua conduta sempre foi correta, íntegra e bastante ética, não sendo de nosso conhecimento nada que o desabone até a presente data”, diz o texto. 

A coordenação do Lar da Criança também nega que o então educador social tenha levado crianças abrigadas no lar para sua própria casa. 

“Também informamos que o funcionário em tela, segundo arquivo de instrumentais de entrada e saída de crianças e livro de ocorrência da instituição, nunca levou nenhuma criança para sua residência”, completa o documento.

Entenda o caso
 
O guarda civil municipal de Teresina, de 37 anos, foi preso suspeito de estupro contra uma criança. A prisão ocorreu na última quarta-feira, durante a operação Impacto, quando 43 pessoas foram presas em Teresina e mais 14 cidades piauienses. 

A Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) investiga o caso que segue em segredo de Justiça. 

O Cidadeverde.com apurou que o suspeito foi aprovado no último concurso da GCM em 2018  e tomou posse este ano. O crime teria ocorrido quando ele ainda não  fazia parte dos quadros da Guarda.

 

 

 

 

Natanael Souza
[email protected] 

Imprimir