Cidadeverde.com
Esporte

Na extraordinária carreira de Pelé, faltou um jogo no Piauí

Imprimir

Com apenas 16 anos de idade Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, já estava despontando como craque no Santos Futebol Clube. Em 1957 fez sua estreia na Seleção Brasileira em jogo com a Argentina no Estádio do Maracanã, quando caminhava para os seus 17 anos. Em 1958, antes de completar 18 anos, já estava na Copa do Mundo da Suécia. 

Foto: Ricardo Stuckert/CBF

Foi escalado como titular no terceiro jogo do escrete brasileiro, diante da União Soviética. O Brasil venceu por 2 x 0, com 2 gols de Vavá. Mantido na posição, marcou 6 gols na consagrada conquista para o nosso País: 1 contra o País de Gales, 3 na França e 2 na Suécia. 

Despontava para o futebol mundial o mais jovem campeão do mundo. Daí prá frente, Pelé foi batendo todos os recordes na história do futebol: novamente campeão mundial em 1962 e 1970; 2 títulos da Libertadores e 2 mundiais de clubes pelo Santos. Uma penca de títulos no futebol paulista e no brasileiro. Artilheiro de tudo, ultrapassando com folga a marca de mais de 1.200 gols.

Na minha carreira de narrador esportivo, tive a felicidade e a honra de narrar jogos de Pelé. Em 1971 aconteceu a despedida do Rei do Futebol da Seleção Brasileira, com dois jogos amistosos. No Estádio do Morumbi, em São Paulo, Brasil e Áustria, dia 11.07.1971, gol de Pelé, concluindo jogada de Zequinha. 

No dia 18.07.1971 foi a vez do Maracanã receber um público de 138.575 torcedores para o emocionante jogo de Pelé com a famosa camisa 10 do Brasil. Jogo Brasil 2 x 2 Iugoslávia, gols de Gérson e Rivelino. Pelé não marcou e antes do final da partida, o Rei do Futebol deixou ocampo para a volta olímpica e a multidão gritando "Fica, fica, fica....".  Carlos Said foi o comentarista nos dois jogos.

No Estádio do Pacaembu narrei o clássico Santos 1 x 0 Palmeiras, gol de Pelé, no Campeonato Brasileiro de 1973. No mesmo ano comentei Santos 4 x 4 Goiás, também no Pacaembu. A narração foi de Valdir Araújo. Era uma rodada dupla com Corinthians 3 x 0 no Tiradentes, na partida principal. 

Aluízio de Castro foi o único repórter do rádio piauiense a trabalhar em um jogo de Pelé. Foi no Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza, Ceará 0 x 0 Santos.
 
Pelé atuou em mais de uma centena de países, defendendo o Brasil e o Santos. Jogou de Norte a Sul do Brasil, menos no Estado do Piauí. Em 1972 o Governador Alberto Silva determinou que o Cel. Renato de Sousa Lopes, Presidente da Federação Piauiense de Desportos, contratasse um jogo do Santos em Teresina, com uma exigência : Pelé teria que jogar. 

O Santos chegou à capital piauiense sem Pelé, para enfrentar o Esporte Clube Flamengo. O Governador Alberto Silva tomou uma decisão que teve repercussão nacional: sem Pelé não haverá jogo. A delegação santista pegou o avião de volta para São Paulo.

A torcida piauiense não teve o prazer de receber em Teresina o maior craque de todos os tempos: Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, nesta sexta-feira(23.10.2020), completando 80 anos. O Brasil inteiro presta suas homenagens ao Rei do Futebol, inclusive nós piauienses.

Dídimo de Castro
[email protected]

Imprimir