Cidadeverde.com
Geral

Fiocruz confirma queda de Síndrome Respiratória Aguda Grave em Teresina

Imprimir

Foto: divulgação Fiocruz

Dados da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) revelam Teresina apresenta sinal de queda de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). A diminuição foi registrada na semana epidemiológica que vai de 25 a 31 de outubro. O boletim InfoGripe da Fiocruz aponta ainda que 18 das 27 capitais apresentam sinal de estabilidade ou crescimento de casos de SRAG na tendência de longo prazo. 

O levantamento mostra que Teresina apresenta forte tendência de queda, desde o pico, em junho, até meados de agosto. Nas quatro últimas semanas, teve sinal de estabilização dos números e, na última semana, a redução de casos voltou a ocorrer, dessa vez, de forma mais lenta. 

“As síndromes respiratórias são infecções causadas por diversos agentes, entre eles o novo coronavirus. Diante desse cenário, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) alerta que, embora tenha ocorrido a diminuição desses casos, a população deve manter os cuidados de higiene e de distanciamento social”, afirma o diretor médico do Centro de Operações Emergenciais (COE) da FMS, Walfrido Salmito.

O coordenador do InfoGripe, Marcelo Gomes, explica que Teresina registrou 10 novos casos semanais por 100 mil habitantes, incidência que sugere a necessidade de a população manter cautela.

“Os dados indicam que ainda há circulação do vírus. Isto é, caso a população volte a adotar cada vez mais os hábitos de interação social como ocorria no período anterior à pandemia, a quantidade de casos pode voltar a crescer”, alerta. 

O prefeito Firmino Filho ressalta que Teresina vem monitorando a Covid-19 de forma sistemática desde o início da pandemia. 

“Em nenhum momento o monitoramento parou. Os dados foram fundamentais para acompanhar a evolução da doença na cidade e tomar as medidas necessárias para conter a proliferação do vírus. Atualmente, há uma queda no número de casos confirmados, de óbitos e de internações. Essa diminuição não foi tão rápida quanto a ascensão, mas é verdadeira e continua a existir. Paralelamente, temos toda a estrutura para prestar assistência em saúde que for necessária. Estamos mantendo os hospitais de campanha e temos leitos disponíveis”, ressalta.

As nove capitais que apresentam sinal moderado ou forte de crescimento na tendência de longo prazo são:  Florianópolis (SC), João Pessoa (PB), e Maceió (AL) apresentam sinal forte de crescimento no longo prazo. Nas capitais Belém (PA), Fortaleza (CE), Macapá (AP), Natal (RN), Salvador (BA), e São Luís (MA) observa-se sinal moderado de crescimento para a tendência de longo prazo.


Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir