Cidadeverde.com
Esporte

Sem Neymar e Coutinho pela primeira vez, seleção inicia semana com dúvidas

Imprimir

O técnico Tite, da seleção brasileira, vive uma situação inédita nesta semana. Pela primeira vez desde a chegada ao cargo, há quatro anos, o treinador não terá nem Neymar nem Coutinho para uma partida em data oficial.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Por isso, a partir desta segunda-feira o elenco inicia em Teresópolis (RJ) a preparação para as Eliminatórias da Copa com a preocupação de se reinventar.

A situação poderia ser pior porque a tendência é Neymar ser desfalque apenas na partida da próxima sexta-feira, contra a Venezuela, no estádio do Morumbi. A CBF espera o retorno dele para o compromisso seguinte, contra o Uruguai, em Montevidéu, na terça-feira. O atacante do Paris Saint-Germain está com um desconforto muscular na perna esquerda e tem passado por tratamento intensivo.

Coutinho não estará com a equipe. O meia do Barcelona sofreu uma lesão na coxa esquerda e acabou cortado da convocação. Para o lugar dele, Tite chamou Lucas Paquetá, do Lyon.

Porém somente durante os treinos desta semana na Granja Comary será possível ter a certeza de quem será o substituto. A opção mais provável é Éverton Ribeiro, que entrou na vaga do próprio Coutinho no segundo tempo dos dois últimos jogos da seleção brasileira.

Neymar e Coutinho têm espaço especial na equipe de Tite. Apenas uma vez sob o comando do técnico a seleção brasileira teve de ser escalada sem nenhum dos dois. E a ocasião foi excepcional. 

Em janeiro de 2017 a CBF organizou um amistoso beneficente no Rio diante da Colômbia para destinar recursos às vítimas da tragédia da Chapecoense. Só foram chamados jogadores que atuam no futebol brasileiro, pois não era data oficial da Fifa.

Coutinho é o jogador que mais atuou na era Tite. Dos 50 jogos da seleção sob o comando do treinador, o meia esteve presente em 46 As únicas ausências dele foram nesse amistoso com a Colômbia e mais três outras ocasiões. 

Em novembro de 2017, o jogador foi poupado de uma partida diante do Japão, em Lille, na França. Um ano depois, na Inglaterra, Coutinho estava machucado e não participou de jogos contra Uruguai e Camarões.

Neymar esteve em campo nessas partidas sem a presença de Coutinho, algo que não será possível na próxima sexta-feira. O fato de não ter condições de enfrentar a Venezuela levou Tite a abrir uma exceção e chamar 24 atletas. O flamenguista Pedro ficou com a vaga. Pelo menos o Brasil já tem uma experiência maior em como suprir a ausência do camisa 10.

O craque do Paris Saint-Germain desfalcou a seleção brasileira em 16 partidas da era Tite. A maior lacuna veio na disputa da Copa América, no ano passado. Neymar lesionou o tornozelo às véspera do início da competição.

Quem ganhou espaço na campanha foi Everton. Novamente o ex-jogador do Grêmio é o favorito a ocupar a vaga de titular ao menos para o compromisso diante da Venezuela.

Durante esta semana a seleção brasileira vai se preparar na Granja Comary, onde fica até quinta-feira. Depois o elenco vem para São Paulo para enfrentar a Venezuela no Morumbi e permanecer na cidade até segunda-feira. 

Os treinos na capital paulista serão no CT do São Paulo, na Barra Funda. Na sequência, a equipe embarca para Montevidéu, onde enfrenta o Uruguai na terça-feira.

Por Ciro Campos
Estadão Conteúdo

Imprimir