Cidadeverde.com
Geral

Hospitais privados estão com leitos esgotados para Covid-19, reafirma Florentino Neto

Imprimir

O secretário estadual de Saúde (Sesapi), Florentino Neto, reconhece que a superlotação nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) nos hospitais privados preocupa a gestão pública, mesmo com 50% dos leitos de UTI disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS). 

“Nas últimas duas semanas, nós temos detectados a elevação da utilização de leitos de terapia intensiva, de emergência e de leitos clínicos dos hospitais privados. Nesses últimos dias, nós chegamos a ter esgotamento do número de leitos disponíveis, inclusive com suspensão de atendimento em alguns hospitais privados”, diz.

O secretário acrescenta que conversou com alguns diretores dos hospitais da rede privada. “Vi neles a preocupação e a determinação de garantir atendimento, mas a dificuldade em razão de estarem com a quantidade esgotada, estarem lotados”. Três hospitais da rede privada de saúde chegaram a anunciar a suspensão de atendimento para casos suspeitos da Covid-19.

Essa e outras situações foram analisados em uma reunião do Centro de Operação de Emergência (COE) Ampliado, na quarta-feira (23). Diante da situação, o COE emitiu uma carta de recomendação Nº04/2020.

“Nela, a gente alerta à população para essa superlotação, para esse esgotamento dos números de leitos privados. A gente deixa claro para a população que a rede pública, a rede do SUS (Sistema Único de Saúde), tem disponibilidade para leitos, estamos apenas com a ocupação de 50%. Nós reconhecemos que a superlotação, que o esgotamento das UTIs privadas, já nos leva para o reconhecimento, mesmo dentro da pandemia, uma situação de emergência”. 

Veja recomendações aqui

No documento, o COE reitera e solicita que a sociedade piauiense continue executando as ações de prevenção e assistência à saúde pública, e cumprindo as determinações do Governo do Estado e da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi). 

“Pedimos à população do Piauí que possam atender a este alerta, para que possamos passar as festas de final de ano de forma segura. Nossa rede está preparada para atender, porém é necessário a colaboração de todos para não sobrecarregar nosso sistema de saúde”, enfatiza o secretário. 


Carlienne Carpaso
[email protected] 

 

Imprimir