Cidadeverde.com
Economia

Bancários protestam contra fechamento de agências em Teresina e ameaçam greve

Imprimir
  • banco_(1).jpg João Henrique Vieira/Ascom
  • banco_(2).jpg João Henrique Vieira/Ascom
  • banco_(3).jpg João Henrique Vieira/Ascom
  • banco_(4).jpg João Henrique Vieira/Ascom
  • banco_(5).jpg João Henrique Vieira/Ascom
  • banco_(6).jpg João Henrique Vieira/Ascom
  • banco_(7).jpg João Henrique Vieira/Ascom
  • banco_(8).jpg João Henrique Vieira/Ascom
  • banco_(9).jpg João Henrique Vieira/Ascom
  • banco_(10).jpg João Henrique Vieira/Ascom
  • banco_(11).jpg João Henrique Vieira/Ascom
  • banco_(12).jpg João Henrique Vieira/Ascom
  • banco_(13).jpg João Henrique Vieira/Ascom
  • banco_(14).jpg João Henrique Vieira/Ascom
  • banco_(15).jpg João Henrique Vieira/Ascom

Caixas das agências do Banco do Brasil de Teresina paralisaram as atividades nesta quinta-feira (21) em protesto contra a extinção da função, que está prevista em dois programas anunciados pelo banco no início deste ano. 

A mudança é prevista nos Programas de Adequação de Quadros (PAQ) e de Desligamento Extraordinário (PDE). Além do fim dos caixas, os planos também preveem a desativação de 112 agências no Brasil, a conversão de 243 agências em postos de atendimento, entre outros pontos.

O presidente do Sindicato dos Bancários do Piauí, Odaly Medeiros, disse ao Cidadeverde.com que em Teresina serão desativadas a agência do BB da Universidade Federal do Piauí e uma das duas agências que funcionam no Banco do Brasil da Avenida Frei Serafim.

No interior do Piauí as agências do Banco do Brasil das cidades de Amarante e Buriti dos Lopes serão transformadas em Postos de Atendimento.

Fotos:João Henrique/Ascom

Agência da Ufpi será desativada

“O Banco do Brasil apresentou uma reforma administrativa, não é a primeira, mas essa foi muito danosa.  Fizemos essa manifestação em repudio a ação do banco, por não aceitarmos essas medidas danosas que trazem prejuízos. A política do governo Bolsonaro é diminuir o número de trabalhadores”, lamenta o presidente do Sindicato. 

O Programa de Desligamento Extraordinário (PDE), estima que cerca de 5 mil funcionários do BB em todo país venham a aderir aos programas de desligamento.

 "A estimativa do BB é que cerca de 5 mil funcionários venham a aderir aos dois programas de desligamento", diz comunicado do  Banco do Brasil , complementando que o número final de adesões, assim como o respectivo impacto financeiro, serão informados após o encerramento dos períodos de adesão, que ocorrerá até 5 de fevereiro.

Odaly Medeiros disse que outra preocupação é saber para onde os bancários que estão lotados nas agências que serão desativadas ou transformadas em Posto de Atendimento serão realocados.

“Essa agência que estão fechando irão ter excedentes. Eles vão pra onde ? Vão ser remanejados o para o interior?”, questiona Odaly.

Os bancários do Banco do Brasil estão planejando uma greve geral no próximo dia 29 de janeiro. 

O Banco do Brasil informou que "a reorganização da rede de atendimento objetiva a sua adequação ao novo perfil e comportamento dos clientes e compreende, além das medidas de otimização de estrutura descritas acima, outros movimentos de revisão e redimensionamento nas diretorias, áreas de apoio e rede, privilegiando a especialização do atendimento e a ampliação da oferta de soluções digitais".

 

Izabella Pimentel
[email protected] 

Imprimir