Cidadeverde.com
Economia

2ª onda covid-19: indústria piauiense descarta paralisação de atividades

Imprimir

Foto: Ascom

Em 2020, diversos foram os fatores que afetaram negativamente a indústria piauiense. Diante da pandemia de Covid-19, o setor se viu impossibilitado de dar continuidade em suas atividades industriais, perda de empregos, falta de insumos e decréscimo econômico no Estado. Contudo, o segmento desenvolveu um planejamento estratégico que viabilizaria o retorno seguro da atividade produtiva e que funcionou efetivamente bem e sem riscos à saúde dos funcionários das empresas.

A cadeia produtiva piauiense segue confiante e otimista para o desenvolvimento do setor em 2021. Segundo dados da PNAD COVID19, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no mês de novembro, houve um aumento na quantidade de pessoas ocupadas nos setores de Indústria geral e de Indústrias da transformação no Piauí. No setor de Indústria geral, o aumento foi de 13% - havia 54 mil pessoas ocupadas em outubro, subindo para 61 mil em novembro. O crescimento foi ainda maior nas Indústrias da transformação, com cerca de 16,2%, aumentando de 37 mil pessoas ocupadas em outubro para 43 mil em novembro.

No cenário atual, a pandemia ainda persiste com oscilações no número de casos e óbitos por covid-19 no Piauí. Diante disso, representantes da indústria piauiense já demonstram preocupação com possíveis decisões sobre o fechamento de empresas e reafirmam a manutenção segura das atividades no Estado. O presidente do Centro das Indústrias do Estado do Piauí (CIEPI) Andrade Júnior reafirma que o setor está preparado e consegue manter operando efetivamente durante a pandemia.

"Quando propomos para a prefeitura e ao governo do Estado a volta das atividades industriais em meados de maio de 2020, nós tínhamos um plano e esse planejamento se configurou eficaz na utilização após o nosso retorno. Eu acho que devemos sim manter o distanciamento social, a higienização correta das mãos, evitar aglomerações e com certeza esse é um pedido que eu faço a toda sociedade piauiense, para que não voltemos ao cenário caótico da pandemia e aos transtornos de parar empresas, de perder empregos, e que inclusive, estamos recuperando a oportunidade de empregos agora. Então não tenho dúvidas de que podemos continuar com as indústrias trabalhando e mantendo esse vírus longe dos trabalhadores e empresas", disse.

A pesquisa Sondagem Industrial realizada pela Federação das Indústrias do Estado do Piauí (FIEPI) em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), aponta que as perspectivas para os próximos seis meses são otimistas. Se a expectativa pela demanda por produtos é de 44,4% no Nordeste, o otimismo da indústria Estadual salta para 56,7%.

Andrade Júnior comenta ainda sobre as projeções do Produto Interno Bruto (PIB) no Brasil em 2021 e acredita em um ano de crescimento econômico no Estado. " No ano passado tivemos um PIB negativo que deverá fechar próximo de 4% e a nossa indústria já prevê uma estimativa positiva, em torno de 3,5% para 2021. Então nós cremos em um ano muito virtuoso com recuperação dos empregos que perdemos no ano passado, geração de renda e sem dúvidas da volta do crescimento econômico. Quero dizer ao industrial piauiense e aos empresários que arregacemos as mangas, agora é a hora de colocar os planos em prática e vamos crescer ", conclui.

Da Redação
[email protected]

Imprimir