Cidadeverde.com
Política

Em reunião com embaixador da China, estados pedem compra direta de vacinas

Imprimir

Os estados brasileiros estão tentando viabilizar a compra direta de vacinas com a China para poder avançar na imunização dos grupos prioritários. Nesta sexta-feira (5), mais de 20 governadores participaram de uma reunião com o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming. O governador Wellington Dias (PT), que coordena o Fórum de Governadores do País sobre a vacinação e preside o Consórcio Nordeste, afirmou que o embaixador sinalizou que as tratativas podem ser feitas diretamente via Instituto Butantan, responsável pela produção da vacina Coronavac, desenvolvida em parceria com o laboratório Sinovac.

“Na agenda com o embaixador da China nós colocamos a necessidade da compra de vacina pelos estados. Os estados brasileiros poderem diretamente comprar de laboratórios de produção na China. Nesse sentido foi dito que podemos tratar com o Butantan”, garantiu o governador.

Com a sinalização da embaixada, o governador disse que o próximo passo é discutir com o Ministério da Saúde uma forma de o Brasil reconhecer múltiplas vacinas.

“Ao mesmo tempo teremos uma agenda com o ministro Pazuello, prevista para a próxima terça-feira, onde o objetivo é que tenhamos o reconhecimento de múltiplas vacinas com essa nova lei do Senado para que se tenha validação, reconhecimento ou a autorização de maneira que, a partir do excedente da compra do ministério, garantir vacinas para outras linhas estratégicas, como todo o pessoal da saúde, segurança. comércio, turismo, eventos, construção civil, ou seja, acelerar a vacinação para mais cedo alcançar a imunização no Brasil”, explica Wellington Dias.

Além da compra direta de vacinas, os governadores discutiram um cronograma de entrega do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), matéria prima para a produção de vacinas no Brasil.

“Acertamos uma pauta para que se tenha o cronograma e já teremos uma entrega neste sábado do IFA, mais três lotes neste mês de fevereiro ou começo de março. Vai permitir que até março nós possamos alcançar no Brasil, em cada estado, algo em torno de 10% da população vacinada. Além disso, a garantia de um cronograma para que, com antecipação de IFA, possamos até março e abril ter produção de vacina no Brasil para vacinar toda a fase 1, cerca de 50 milhões de pessoas”, detalha.

Foto: Ccom

Economia

O governador afirmou que foi tratado ainda com Yang Wanming uma estratégia para a retomada da economia no Brasil, com ajuda da China.

“Nós acertamos a organização de câmaras técnicas, câmaras de trabalho. Os estados brasileiros com os técnicos do governo e da embaixada da China para que possamos ampliar estrategicamente as possibilidades em diversas áreas. Áreas como tecnologias, produção de alimentos, energias renováveis, investimento direto em produção, balança comercial, onde vendemos e compramos para a China. Esse trabalho será parte do grande plano de retomada da economia para o Brasil a partir de cada estado”, disse.

Hérlon Moraes
[email protected]

Imprimir