Cidadeverde.com
Esporte

River Atlético Clube traz cinco reforços do Rio de Janeiro

Imprimir
Em três jogos do atual Campeonato o Ríver perdeu dois e empatou um, ficando na lanterna ao final da primeira fase do primeiro turno, bem atrás de Flamengo, Barras e Piauí. Ficaram reduzidas as possibilidades do tricolor conseguir uma vaga para a fase decisiva do turno. Para chegar lá, terá que reagir nos próximos três jogos.



O empate de 2 x 2 com o Barras deixou a torcida frustrada porque o time comandado por Neto Camarço esteve ganhando por 2 x 0, mas permitiu a reação do adversário para chegar ao empate de 2 x 2 Faltou força na marcação para impedir que a equipe barrense chegasse à área, onde tudo poderia acontecer por causa das péssimas condições do gramado. Mesmo deixando escapar a vitória,  ficou claro que o desempenho do time melhorou, especialmente no espírito de luta. Enquanto a condição física deu, cada jogador batalhou pela vitória.

Agora a diretoria Riverina faz uma nova tentativa para melhorar o time e lutar por uma classificação, ainda que seja em atapas seguintes do Campeonato. Na tarde desta terça-feira(10) chegaram a Teresina cinco reforços, todos vindos do Rio de Janeiro: Brener(atacante),Vaguinho(lateraldireito),Willam(volante),Marquinhos(meia)eDiego(meia).

Os novos reforços começarão a treinar nesta quarta-feira( 11) pela manhã, no campo da sede social. A torcida Riverina espera que não sejam jogadores para teste, mas para resolverem as dificuldades do time no Campeonato. Neto Camarço vai fazer suas observações e com a pressa necessária. Se tudo estiver bem, o tricolor estará com uma formação diferente na partida de segunda-feira com o Piauizão Vibrante, no Estádio Lindolfo Monteiro.

REGIME PROFISSIONAL

Independente da capacidade técnica dos jogadores, o Ríver precisa de um regime profissional no seu futebol. Ano passado o tricolor terminou o primeiro turno na liderança. Ganhou até a Taça Estado do Piauí. No segundo faltou comando no futebol do clube. Os jogadores viviam nas farras e time fracassou completamente.

Acabou eliminado pelo Comercial de Campo Maior e não chegou nem mesmo às semifinais do Campeonato. E o comando precisa chegar rente em todos os momentos da preparação do time. É tarefa para a comissão técnica e para membros da diretoria.

O mesmo vale para todos os participantes do Campeonato Piauiense ou qualquer outra competição. Vale até para uma Copa do Mundo. Quem não levar a sério a preparação, não vence.


Dídimo de Castro
[email protected]
Tags:
Imprimir