Cidadeverde.com
Geral

Primeira semana de março termina com 108 óbitos e 5.200 novos casos de covid

Imprimir

Foto: Claudio Furlan/Estadão Conteúdo

A primeira semana do mês de março terminou com um recorde no número de mortes por covid-19 no Piauí este ano. Foram 108 óbitos registrados entre os dias 1 e 6. A média chegou a 18 mortes por dia. Nos seis primeiros dias de março o número de óbitos aumentou 58% em relação ao mesmo período de fevereiro, onde foram registradas 62 mortes.

O número de novos casos da covid-19 bateu a marca dos 5 mil, totalizando 5.296 nos primeiros dias de março, 70% a mais que no mesmo período de fevereiro, onde foram registrados 3.115 novos casos da doença.

Últimas 24h

Segundo a Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi), em boletim divulgado na noite deste sábado (6), nas últimas 24 horas foram registrados, no Piauí, 765 casos confirmados e 13 óbitos pela Covid-19. As idades das pessoas contaminadas variam de um a 94 anos.

Sete mulheres e seis homens não resistiram às complicações da Covid-19. Elas eram dos municípios de Buriti dos Lopes (81 anos), Baixa Grande do Ribeiro (93 anos), Canto do Buriti (78 anos), Oeiras (62 anos), Parnaíba (66 e 73 anos) e Piripiri (75 anos). Já os do sexo masculino eram de Parnaíba (43 e 64 anos), Sigefredo Pacheco (79 anos) e Teresina (35, 60 e 62 anos). Duas das treze vítimas não possuíam comorbidades.

Os casos confirmados no estado somam agora 179.304 distribuídos em todos os municípios piauienses. Já os óbitos pelo novo coronavírus chegam a 3.460 e foram registrados em 212 municípios. Até agora, morreram 2.026 homens e 1.434 mulheres.

Leitos

Dos leitos existentes na rede de saúde do Piauí para atendimento à Covid-19, há 808 ocupados, sendo 453 leitos clínicos, 297 UTIs e 58 em leitos de estabilização. As altas acumuladas somam 10.255 até o dia cinco de março de 2021.

A Sesapi estima que 175.036 pessoas já estão recuperadas ou seguem em acompanhamento (casos registrados nos últimos 14 dias) que não necessitaram de internação ou evoluíram para morte.

Veja os dados desde o início da pandemia

 

 

 

Hérlon Moraes (Com informações da Sesapi)
[email protected]

Imprimir