Cidadeverde.com
Geral

Mais de 500 estabelecimentos foram fiscalizados pela Vigilância Sanitária em Teresina

Imprimir

Foto: divulgação

Desde que as fiscalizações realizadas pela Diretoria de Vigilância Sanitária do Piauí (Divisa) foram intensificadas para averiguar o cumprimento do decreto estadual que define medidas restritivas como ação preventiva contra a Covid-19, os fiscais da Vigilância Sanitária têm orientado diariamente, trabalhadores, empresários e população em geral a respeito das determinações que visam conter a disseminação do novo coronavírus no estado.

A Divisa, em parceria com a Policia Militar e a Gerência de Vigilância Sanitária de Teresina (Gevisa), todos os dias tem percorrido os bairros de Teresina, incluindo a zona rural da capital, para fiscalizar os estabelecimentos e verificar se as medidas preventivas estão sendo cumpridas. A mesma ação é realizada em todo o estado pelas Vigilâncias Sanitárias municipais (Visas) em parceria com a PM

Mais de 500 estabelecimentos foram fiscalizados em Teresina após o decreto estadual que estabeleceu lockdown parcial e toque de recolher como medidas para barrar a aglomeração e tentar conter o avanço do novo coronavírus. A fiscalização é realizada pela Vigilância Sanitária do Piauí em parceria com a Polícia Militar. 

“No início, havia uma resistência maior por parte dos donos de estabelecimentos, mas o que a gente tem observado nos últimos dias é que uma boa parte dessas pessoas tem cumprido o decreto”, observa Tatiana Chaves, diretora da Vigilância Sanitária do Piauí (Divisa). 

Dos estabelecimentos vistoriados, mais de 20 foram notificados. Para a gestora, o mais preocupante, neste momento, são as festas clandestinas, a maioria, na zona rural de Teresina, com intuito de despistar as fiscalizações.

Foto: divulgação

“Infelizmente temos recebido muitas denúncias de festas clandestinas. Algumas pessoas insistem em infringir as medidas, que têm o único objetivo de salvar vidas e, com isso, acabam sobrecarregando ainda mais o nosso sistema de saúde”, destacou a diretora.

Além disso, os comportamentos individuais de famílias e grupos de amigos que realizam festas particulares, também têm sido um agravante para o aumento dos casos no Piauí. 

“E aqui a gente faz um apelo para consciência de cada cidadão, para que façam a sua parte e nos ajude a vencer essa doença que tanto tem maltratado e causado sofrimento a nossa população”, finalizou Tatiana Chaves.

 

Da Redação
[email protected]

Imprimir