Cidadeverde.com
Geral

Ônibus voltam a circular após paralisação por falta de pagamento dos motoristas

Imprimir

Atualizada às 17h15

O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviário do Piauí (Sintetro) informou ao Cidadeverde.com que os ônibus estão circulando normalmente na tarde desta sexta-feira (19). A paralisação do serviço por alguns trabalhadores pela manhã ocorreu porque apenas uma empresa tinha efetuado o pagamento dos seus funcionários. A previsão era de que o pagamento do mês de janeiro acontecesse hoje (19) por todas as empresas. Atualmente, Teresina possui 12 empresas organizadas em 4 consórcios.

O Sintetro também informou que a assessoria jurídica analisa a situação e deverá entrar em contato com o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) sobre a falta de pagamento. A assessoria jurídica também discute a assinatura de uma minuta entre o Sintetro, a Prefeitura de Teresina e o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) relacionada aos repasses e pagamentos de salários. 

“Os ônibus estão circulando. Houve essa manifestação. Uma empresa já pagou, uma outra disse que iria pagar hoje a tarde. A assessoria jurídica vai entrar em contato com o TRT sobre o não pagamento. Outra situação é esse termo com a Prefeitura, estamos discutindo esse termo”, diz o presidente do Sintetro, Ajuri Dias, que voltou a cobrar pela assinatura da convenção coletiva dos trabalhadores. 

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) aguarda decisão das assinaturas. Até o momento, não há indicativo de nova greve até porque os motoristas e cobradores de ônibus, que estiveram em greve por 36 dias, aceitaram a proposta do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de suspender o movimento grevista por 90 dias.

“Nós entregamos uma minuta aos sindicatos e eles estão analisando junto ao jurídico. São claúsulas que devem ser observadas por todos”, comenta o superintendente da Strans, Claudio Pessoa. 

Sobre os repasses da Prefeitura de Teresina ao Setut, que ajudará no pagamento dos salários, o Cidadeverde.com aguarda retorno da Coordenadoria Municipal de Comunicação. A dívida da PMT com o SETUT é de R$ 22 milhões.  

O superintendente esclarece que o descumprimento de ordem de serviço por parte das empresas é considerado infração na lei de transporte municipal. A empresa poderá ser notificada e passará por processo administrativo, que poderá resultar em sanção. 

A minuta entre a Prefeitura de Teresina e os sindicato não possui relação direta com a decisão do TRT. O acordo com o TRT sobre a suspensão da grave por 90 dias envolve apenas os sindicatos. 

O SETUT informou, nesta tarde, "que até o momento, ainda não constatou o repasse da primeira parcela do acordo firmado com a Prefeitura de Teresina. A entidade esclarece que segue aguardando o repasse de recursos, para que seja feito o pagamento salarial dos trabalhadores o mais breve possível".

Ao Cidadeverde.com, a Secretaria Municipal de Finanças informou que o dinheiro para o repasse "está pronto", mas é necessário que as partes assinem o acordo.

Carlienne Carpaso
[email protected] 

Imprimir