Cidadeverde.com
Esporte

Tite vai convocar seleção brasileira para Eliminatórias na próxima sexta-feira

Imprimir

O técnico Tite vai divulgar na próxima sexta-feira, às 11 horas, a lista dos atletas da seleção brasileira convocados para os próximos dois jogos das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo do Catar contra Equador e Paraguai, marcados para os dias 4 e 8 de junho, respectivamente.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Em razão da pandemia de covid-19, a convocação será realizada virtualmente. Depois da divulgação dos jogadores convocados, haverá uma coletiva de imprensa, também de forma remota, com Tite e sua comissão técnica.

Líder das Eliminatórias com 100% de aproveitamento até aqui, o Brasil encara o Equador, dia 4 de junho, no Beira-Rio, em Porto Alegre, e depois enfrenta o Paraguai, quatro dias mais tarde, fora de casa, em Assunção.

A seleção brasileira soma 12 pontos conquistados em quatro jogos disputados. É a única equipe com 100% de aproveitamento na competição. Na última rodada, disputada em novembro do ano passado, o Brasil derrotou o Uruguai, fora de casa, por 2 a 0.

Depois das Eliminatórias, o time de Tite continua reunido para a disputa da Copa América, na qual estreia no dia 14 de junho, contra a Venezuela. Na primeira fase da competição, disputada na Argentina e Colômbia, o Brasil ainda joga contra Peru, Colômbia e o Equador.

Com o calendário fortemente impactado pela pandemia do novo coronavírus, a comissão técnica terá que se desdobrar para montar o grupo e readequar o próprio planejamento.

Tite terá de definir se a convocação valerá também para a disputa da Copa América. A competição começa em 11 de junho, e o Brasil ficará baseado na Colômbia.

Caso o técnico opte por levar o mesmo grupo de jogadores para as duas disputas, os clubes que cederem atletas para a seleção poderão ficar desfalcados por mais de 40 dias.

O Estadão apurou que o Brasil deverá realizar um período de preparação na Granja Comary, em Teresópolis. Caso a opção se confirme, a tendência é de que o grupo se reúna partir de 31 de maio.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir