Cidadeverde.com
Últimas

Capital paulista precisa vacinar 50 mil por dia para bater meta

Imprimir

Para poder imunizar todas as pessoas de 46 anos a 18 anos de idade contra a Covid-19 até o dia 15 de setembro, a Prefeitura de São Paulo terá que vacinar, em média, 49.545 pessoas por dia com a primeira dose. Dados da própria administração municipal indicam que de 19 de janeiro deste ano até agora, foram aplicadas 4.826.605 primeiras doses, numa média diária de 35.752.

Ou seja, para cumprir o calendário, a prefeitura precisa acelerar o ritmo diário em 38% até o dia 15 de setembro para cumprir o calendário.

A capital tem 5.340.223 pessoas da faixa etária de 18 anos a 46 anos elegíveis para receber a vacina vacinar. Entretanto, 1.375.623 pessoas dessa faixa etária já se imunizaram, seja por possuir alguma comorbidade ou doença permanente, ou por pertencer a outros grupos já contemplados, tais como grávidas e puérperas, e profissionais das áreas de saúde, segurança pública e transportes.

O cálculo tanto das doses já aplicadas quanto daqueles que ainda precisam ser vacinados não leva em conta o domingo, dia em que a prefeitura não vacina contra a Covid-19 na capital paulista. Neles também não é levado em consideração as doses de reforço já aplicadas, tendo em vista que os novos grupos ainda não tomaram nenhuma dose do imunizante.

Nesta sexta-feira estão sendo vacinadas pessoas de 47 anos, sem a prefeitura ter divulgado, até por volta das 18h30, como será a continuidade do calendário.

Se for levado em consideração apenas o retrospecto recente da imunização, o quadro é animador. A Prefeitura de São Paulo tem vacinado, em média, mais de 90 mil pessoas por dia, o dobro do necessário até o dia 15 de setembro para cumprir o calendário. Além disso, o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, já repetiu por diversas vezes em entrevistas coletivas que o efetivo empregado na campanha de vacinação contra a Covid-19 na cidade de São Paulo tem capacidade de aplicar até 600 mil doses de imunizantes.

Uma conclusão possível é a de que, desde que as doses estejam disponíveis, matematicamente é possível até antecipar o calendário. O problema é saber quantas doses de vacinas a cidade terá.

PROBLEMAS

Dificuldades para conseguir a vacina existiram na semana passada, inclusive na última sexta-feira (25). No período da manhã, um em cada dez pontos de vacinação com informações disponíveis no site da prefeitura estava com falta do imunizante.

Um desses pontos era o drive-thru localizado no shopping Jardim Sul. Atendentes informaram que as doses recebidas às 8h terminaram às 8h30. A reportagem esteve no local perto das 13h30 e, até este horário, a informação era a de que não havia sequer previsão de receber novas doses.

"Já passei três vezes aqui desde as 10h. Me falaram que aqui tinha Pfizer. É por isso que vou voltar quantas vezes precisar?", afirma a comerciante Rachel da Silva Lopes, de 47 anos.
Dados da prefeitura indicam que a situação foi normalizada às 15h no shopping Jardim Sul.

No shopping Campo Limpo, que, além de um drive-thru oferece um megaposto, as doses chegaram por volta das 14h, minutos depois da reportagem entrar no estacionamento onde funcionam os serviços. Um funcionário dirigindo um utilitário trouxe as doses em caixas de isopor, o que motivou aplausos da corretora de imóveis Núbia Moraes, de 47 anos, que estava falando com funcionárias do megaposto. Ela esteve no local por volta das 12h30 e voltou mais tarde. "Eu estava com muito medo é de ficar sem", afirmou.

Ao lado, no drive-thru, a dona de casa Maria Iracema Santos, de 48 anos, foi imunizada sem sair do carro. "Eu estava muito esperançosa. Ainda bem que vim agora", disse.

Resposta Questionada sobre a quantidade de vacinas que serão enviadas para a cidade de São Paulo neste final de semana, o governo estadual informou, em nota, se limitou a dizer que novas doses serão enviadas, sem especificar a quantidade nem a data exata.

"O Governo de São Paulo atua com agilidade na logística e distribuição para a rede de saúde do Estado, direcionando às prefeituras imunizantes para cada etapa da campanha, com as devidas orientações", informa trecho da nota.

Em nota, a Prefeitura de São Paulo, informou realizar remanejamento e abastecimento de doses diariamente entre os pontos de vacinação, para, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, resolver eventuais desabastecimentos pontuais causados pela alta demanda em alguma região. "Sempre que há algum registro nesse sentido, o abastecimento é solicitado imediatamente", informa a pasta.

 

Folhapress

Imprimir